Workshop gratuito ajuda a recolocar no mercado de trabalho

A iniciativa é da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) e faz parte de um programa que começou em julho

Por O Dia

Rio - Mãe de dois filhos pequenos, Mariana Valério está há três anos fora do mercado de trabalho. Ela trabalhou com carteira assinada pela última vez em 2014, em uma agência do ramo de saúde. Agora, está atrás de um novo emprego. Mariana faz parte de um grupo de 50 profissionais que já passaram pelo RecolocaRH, projeto em parceria entre a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) e a Right Management, consultoria especializada em transição de carreira, para orientar profissionais e minimizar os impactos causados pelos desligamentos em meio à crise.

Cerca de 50 profissionais demitidos em cortes de gastos foram indicados para participar do projetoDivulgação

Já foram dois workshops do programa, que começou em julho. A expectativa é promover outros três encontros na sede da ABRH até o fim do ano. Na consultoria, Mariana e os outros candidatos receberam dicas sobre a elaboração do currículo e o uso de redes sociais, como o LinkedIn, para captar oportunidades de trabalho.

Mariana passou a dedicar pelo menos duas horas do dia para enviar currículos, rastrear vagas em redes sociais e buscar dicas em sites especializados. "A ideia é viver essa recolocação com seriedade. Como se fosse um emprego. Vi muita gente desanimada e perdida. Estamos todos no mesmo barco. Precisamos buscar motivação e entender o que o mercado está pedindo hoje", argumenta Mariana.

Para Patricia Pacheco, diretora da ABRH, o momento mais crítico é justamente o contato inicial com esses profissionais. "Eram pessoas que tinham um cargo. Não é só o salário que elas perdem. É importante que saibam lidar com essas mudanças", recomenda.

Ela explica que o projeto também ajuda na elaboração de estratégias para conseguir emprego. O grupo é formado, na maioria, por ex-funcionários de empresas associadas, demitidos em cortes de custos. De acordo com a ABRH, são profissionais que ficam até seis meses à procura de uma nova oportunidade. "A proposta é de repensar a carreira. As pessoas estão buscando outros caminhos para se sentirem produtivas".

Últimas de _legado_Empregos e Negócios