Construindo o futuro

Curso de capacitação em construção civil, elétrica e telecomunicações forma jovens que promovem melhorias nas comunidades em que vivem

Por O Dia

Rio - Morador do Morro dos Prazeres, Arthur Felizardo, de 20 anos, foi se despedir dos amigos americanos no Aeroporto do Galeão, na última quinta-feira. Fez questão de acompanhar os colegas estrangeiros, que voltaram para bairros da periferia de Boston, onde vivem, depois trocar experiência pessoais e profissionais com jovens brasileiros da mesma origem social. O intercâmbio é parte do Programa Jovens Construtores, que capacita jovens de comunidades carentes nas áreas de construção civil, elétrica e de telecomunicações. A formação vai além dos conhecimentos técnicos, e engloba noções sobre o mercado de trabalho e relações interpessoais. Uma nova turma tem início na próxima terça-feira, na Pavuna.

Alunos da turma do Programa Jovens Construtores da Cidade de Deus realizam reformas na comunidadeDivulgação

"Mudei completamente a minha visão em relação aos americanos. Percebi que eles têm problemas semelhantes aos nossos, como discriminação racial, poucas oportunidades e violência", contou Arthur, por telefone, enquanto aguardava o embarque dos colegas.

O programa de capacitação por que passou tem abrangência internacional e foi concebido pela organização americana YouthBuild. No Brasil, é aplicado pelo Centro de Promoção da Saúde (Cedaps), que conta com parceiros como o Senai, Ciee, Metrô Rio e Oi Futuro para tocar as turmas nas áreas carentes do Rio, onde o programa é implementado por instituições locais. ,

Jovens alunos do Programa Jovens Construtores da Cidade de Deus%2C em Jacarepaguá%2C na Zona Oeste%2C realizam reformas na comunidadeDivulgação

Na Pavuna, a turma que começa na terça-feira vai acontecer na ONG Rongo, espaço conhecido como o Museu do Grafite, na Avenida Pastor Martin Luther King Júnior. As aulas terão duração de cinco meses e irão capacitar 25 alunos em elétrica predial. Como acontece com todas as turmas do Programa Jovens Construtores, a prática começa na própria região em que moram os alunos. "Aqui na Pavuna, eles vão começar com reparos no próprio edifício da ONG e depois vão partir as ações em suas próprias vizinhanças", diz André Rongo, fundador do Museu do Grafite, que vai receber alunos dos Complexos da Pedreira e do Chapadão.

No Morro dos Prazeres, Arthur e seus colegas de turma reformaram a Associação de Moradores e uma praça que fica próximo à casa de uma das moradoras mais antigas da comunidade. Kátia Edmundo, diretora executiva do Cedaps, conta que, em muitos casos, os alunos realizam reparos em suas próprias residências. "Dessa forma, além da capacitação profissional, o curso promove o desenvolvimento local", diz a diretora.

Formação

- Turmas e regiões

O Programa Jovens Construtores começou a ser implantado no Brasil pelo Cedaps em 2010. Desde então, foram formados 320 jovens na comunidade 29 de Março, em Campo Grande, no Alemão, no Morro dos Prazeres, no Borel, na Mangueira e na Cidade de Deus.

- Ação no local

No Borel, o curso foi implantado pela Unidos da Tijuca, que incluiu uma oficina de adereços na grade curricular, com objetivo de absorver os jovens no barracão da Escola de Samba.

- Empregos

Arthur Felizard, que se formou no Morro dos Prazeres em 2015, começou a trabalhar como Jovem Aprendiz na Ipiranga, conseguiu uma bolsa de estudos de inglês, e hoje faz estágio no Cedaps.

- Parceria

Interessados em trazer o curso para suas comunidades devem entrar em contato o Cedaps (cedaps.org.br)

Últimas de _legado_Empregos e Negócios