Por gabriela.mattos

Rio - Onze pessoas foram presas ontem em duas operações deflagradas pela Polícia Federal para combater fraudes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 em oito Estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Tocantins, Amapá, Pará e Minas Gerais. Um secretário de Saúde de um município do Ceará está entre os detidos.

A primeira operação, denominada Embuste, ocorreu em Minas Gerais com o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada em fraudar processos seletivos para ingresso no ensino superior, sem o cumprimento dos requisitos legais. De acordo com a PF, foram cumpridos 28 mandados judiciais simultâneos, todos expedidos pela Justiça de Montes Claros, mas não houve prisões.

A segunda operação, chamada Jogo Limpo, foi realizada nos demais Estados, também para evitar fraudes, e resultou nas 11 prisões. Segundo a Polícia Federal, com base na análise de gabaritos apresentados em anos anteriores, a PF, em conjunto com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), identificou 22 pessoas que teriam apresentado respostas suspeitas de fraude e que fariam a prova novamente neste ano.

O delegado da Polícia Federal Franco Perazzoni afirmou que as operações continuam em curso e ainda haverá novos desdobramentos "Há pessoas que estão sendo ouvidas. Agora, com a conclusão das provas, vamos cruzar dados, checar semelhanças de gabaritos", disse.

Segundo o delegado, as quadrilhas têm usado tecnologias modernas para fraudar os exames. Um dos supostos estudantes identificados usava um ponto eletrônico no ouvido tão pequeno que objeto teve de ser retirado com uma pinça. "O desafio de combater efetivamente uma fraude dessa magnitude não é coisa fácil. O resultado é decorrente de uma parceria que vem sendo feito há alguns meses entre PF, MEC (Ministério da Educação) e Inep", disse.

Até um secretário

Um secretário municipal de Saúde do Ceará está entre os quatro presos temporários pela Operação Embuste. O secretário, que não teve o nome revelado pela Polícia Federal, fazia prova de Linguagens, Redação e Matemática em uma universidade na região central de Fortaleza, com ponto de escuta. Os policiais federais flagraram o fraudador com o equipamento espalhado pelo corpo ligando a fones de ouvido.

Levado à Superintendência Regional da PF em Fortaleza, o candidato está preso e a disposição da Justiça Federal.

Você pode gostar