Por thiago.antunes

Rio - O Ministério da Educação (MEC) anunciou o calendário dos processos seletivos que utilizam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para acesso ao ensino superior. A partir desta quinta, as vagas para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) estarão disponíveis na internet para consulta. As inscrições para o processo seletivo vão de 24 a 27 de janeiro. O Sisu oferece vagas em instituições públicas. Serão ofertadas 238 mil vagas em 131 universidades federais e estaduais e institutos federais e instituições estaduais. 

O Programa Universidade para Todos (ProUni) abre o processo seletivo em 30 de janeiro e fecha a 2 de fevereiro. O ProUni oferece bolsas de estudo em instituições particulares. As inscrições do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) vão de 6 a 9 de fevereiro. O Fies oferece financiamento em instituições particulares.

Redação: Só 77 na máxima

O resultado do Enem 2016 foi liberado para consulta ontem, mas o sistema sofreu ataques ao longo do dia. Apenas 77 dos seis milhões de alunos que prestaram o concurso tiraram nota máxima em redação.

O Ministério da Educação (MEC) anunciou que o exame poderá ser aplicado em apenas um dia este ano. Atualmente, o Enem é aplicado em dois dias (sábado e domingo). A redução nos dias de aplicação, segundo o ministro Mendonça Filho, reduziria também os custos com as provas. A prova seria menor e teria, no máximo, 100 questões – hoje são 180 divididas em dois dias. 

Nota do Brasil cai para 7... de 100

Ao terminar o ensino médio, apenas 7,3% dos estudantes atingem níveis satisfatórios de aprendizado de matemática. Em 2013, essa parcela era 9,3%.Este é um dos dados divulgados ontem pelo movimento Todos pela educação. O índice é menor para as escolas públicas. Apenas 3,6% têm aprendizado adequado.

“Matemática é uma disciplina cujo aprendizado é muito mais dependente da escola. Se não aprendeu na escola, não aprende na vida”, diz Priscila Cruz.

O levantamento mostra melhora na primeira etapa do ensino fundamental, que vai do 1º ao 5º ano (geralmente da alçada dos municípios), mas em patamar baixo. Em 2005, nenhum município tinha mais de 75% dos estudantes com aprendizado adequado em matemática. Em 2015, eram 4,2%.

Você pode gostar