Por bianca.lobianco

Rio - Em terceiro lugar na corrida pela Presidência da República, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) aposta as fichas no início do horário eleitoral gratuito para impulsionar sua campanha. O candidato espera um arranque na segunda fase da disputa, assim como ocorreu na corrida para governador, em 2006. Na época, ele começou com apenas 4% das intenções de voto e acabou eleito no segundo turno, com 65,361% dos votos válidos.

“Hoje, só 30% do Brasil me conhece. Em setembro, o Brasil inteiro vai me conhecer tanto quanto Pernambuco”, afirmou ontem, durante um ato de campanha em seu estado natal. Na última pesquisa divulgada pelo Ibope, o candidato aparece com 8% das intenções de voto. 

Ao discursar, Campos fez críticas a Dilma, mas elogiou seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. “Tive ajuda de Lula, com quem fiz muitas parcerias. Nunca pedi favor, pedi para Pernambuco, porque preparei projetos arrumados. Mas o Brasil não anda bem”, disse, prometendo manter programas populares da gestão petista, como o Bolsa Família e o Prouni.

Presidenta descansa

Ontem, a presidenta Dilma Rousseff (PT) não teve agenda de campanha. Já Aécio Neves (PSDB) elevou o tom das críticas à suposta fraude na CPI da Petrobras. “Isso é extremamente grave. Brincam com a inteligência dos brasileiros. Se confirmadas estas denúncias, nós estamos diante de uma grande farsa”, declarou, durante uma caminhada em São José dos Campos (SP). No sábado, a revista ‘Veja’ publicou uma reportagem afirmando que dirigentes da estatal tiveram acesso antecipado às perguntas a que responderam na CPI que investiga a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Candidatos fazem corpo a corpo no Rio

Candidato ao governo do Rio, Lindberg Farias (PT) afirmou ontem que as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) devem avançar e ir além da oferta de segurança. “Precisamos transformar as áreas pacificadas em territórios de oportunidades para os jovens, com educação, cultura e ações sociais. Atualmente, 30% dos jovens do Rio não estudam nem trabalham”, disse o petista, durante um corpo a corpo na feira livre de Campo Grande, na Zona Oeste da capital.

Já o governador do Rio e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), mira as comunidades atendidas pelo programa em sua campanha. Ontem, o candidato fez caminhada no Complexo do Lins, na Zona Norte da cidade. A região é atendida por duas UPPs. Hoje, o governador visita a UPP da Vila Kennedy, na Zona Oeste.

Líder nas pesquisas de intenção de voto, o candidato do PR, Anthony Garotinho, fez uma carreata em Santa Cruz, na Zona Oeste.

Você pode gostar