Por nicolas.satriano

Rio - O candidato ao governo do Rio pelo PR, Anthony Garotinho, concedeu entrevistaao RJTV na noite desta quarta-feira e falou sobre educação e transportes no estado. Além disso, Garotinho questionou perguntas e informações, e foi evasivo em respostas.

Já confrontado com uma pergunta sobre o ex-chefe de Polícia Civil  de seu governo, Álvaro Lins, atualmente condenado a 28 anos de prisão por formação de quadrilha, Garotinho disse que isto já é um "caso esclarecido" e que os policiais o teriam envolvido no esquema. O candidato também disse que Lins se manteve no cargo de chefe de polícia, pois não havia provas suficientes que o condenassem. Garotinho também disse que a responsabilidade da investigação desta "pedreira", nas palavras dele, foi do governo dele e de sua sucessora e mulher, Rosinha Garotinho. 

Garotinho é entrevistado pelo RJTV e ironiza condenaçãoReprodução

Também sobre o mesmo caso, onde Garotinho foi condenado por chefiar, junto com Lins, a quadrilha, o candidato ressaltou que nunca foi preso e disse: "A minha condenação foi cesta básica, ou seja, fiz o que sempre fiz, ajudar o povo". 

Já sobre a promessa de campanha de criar quatro novos corredores de metrô, o candidato novamente foi questionado pela entrevistadora, que lembrou que de 1999 a 2002, período em que foi governador, Anthony Garotinho pouco fez pelo transporte público. Ele rebateu dizendo ter inaugurado duas estações.

No entanto, o candidato se viu novamente encurralado quando a jornalista trouxe à tona informações que mostraram que em oito anos de governo Rosinha e Garotinho, pouco menos de dois quilômetros de trilhos de metrô haviam sido construídos. O que não tornaria questionável a promessa que o candidato do PR fez de criar 90 quilômetros. Garotinho então disse que investiria em VLTs, que seriam "baratinhos". 

O próximo entrevistado pelo RJTV será o candidato do PRB, Marcelo Crivella, nesta quinta-feira. 





Você pode gostar