Por bferreira

Rio - O candidato a presidente pelo PSC, Pastor Everaldo, afirmou ontem que, se eleito, irá privatizar a Petrobras. Ele foi o quarto presidenciável entrevistado no Jornal Nacional. O candidato, que defende uma intervenção mínima do estado na economia, afirmou que vai “cortar na carne”, reduzindo o número de ministérios e passando para a iniciativa privada todas as empresas que são foco de corrupção. “Tudo que for possível passar, vou passar”, afirmou.

No início da entrevista, o pastor foi questionado por Patrícia Poeta sobre sua inexperiência em cargos políticos. Ele afirmou que chamará os melhores quadros de cada partido para compor um eventual governo.

O candidato prometeu que irá isentar do Imposto de Renda todos os trabalhadores que ganham até R$ 5 mil. Ao final de sua aparição, se manifestou contra o casamento gay e o aborto. “Minha candidatura é em defesa da vida e do ser humano desde sua constituição. Defendo a família como está na Constituição: casamento pra mim é homem e mulher. Sou contra a legalização das drogas”, resumiu.

Você pode gostar