Por thiago.antunes

Rio - Em seu primeiro dia de propaganda eleitoral na televisão, os candidatos Luiz Fernando Pezão (PMDB) e Lindberg Farias (PT) recorreram aos padrinhos Sérgio Cabral e Lula. Os dois candidatos, que detêm o maior tempo de TV entre os concorrentes, também exploraram imagens da vida em família.

Pezão aparece em cenas do cotidiano com a esposa e seus pais falam sobre a “humildade” do filho. Com tempo de sobra, a campanha do governador também explorou sua gestão como prefeito de Piraí. No segundo programa, exibido à noite, o tema das UPPs foi abordado, com depoimentos de moradores dizendo que se sentem mais seguros. Em sua fala, Cabral afirma que Pezão é um “homem simples”.

O vídeo de Lindberg se inicia com uma homenagem a Eduardo Campos, falecido na semana passada. A propaganda explora momentos sensíveis da família, como a morte do pai do candidato. No vídeo, o senador lembra a época em que militava nas Diretas Já. Lula aparece ao final da gravação, afirmando que é preciso dar continuidade aos avanços promovidos pelo PT. A presidenta Dilma Rousseff não é mencionada.

Com apenas 1 minuto e 9 segundos de duração, o programa de Marcelo Crivella (PRB) resume sua biografia em fotos e vídeos. A narração diz que ele vendeu mais de 10 milhões de CDs e que investiu “todo o dinheiro que ganhou” em um projeto social. O próprio candidato não fala praticamente nada. Só aparece ao fim, dizendo “é o Rio em boas mãos”.

Na propaganda de Anthony Garotinho (PR), ele é apresentado como “governador do povo” e critica Luiz Fernando Pezão. “O governo hoje só se preocupa com propaganda, marketing e maquiagem”, ataca, acusando o peemedebista de governar para os ricos. Tarcísio Motta (Psol), é elogiado pelos colegas de partido Marcelo Freixo, Jean Wyllys e Chico Alencar.

Você pode gostar