Clube Militar diz agora preferir Aécio Neves, o 'menos pior'

No entanto, em caso de segundo turno entre Marina e Dilma, os militares reforçaram que apoiarão Marina Silva, do PSB

Por O Dia

Rio - O Clube Militar retirou o apoio que havia anunciado à candidatura de Marina Silva (PSB) à Presidência da República. Em texto publicado nesta terça-feira no site da organização, o general Pimentel diz agora que o clube prefere a candidatura de Aécio Neves (PSDB), apesar de parte de seus “correligionários já darem sinais de aceitarem a derrota”.

“O candidato que consideramos “menos pior” é o Aécio, terá nosso voto (meu) e foi o único convidado por nós, presidentes dos Clubes Militares, para apresentar sua proposta de governo”, disse o general.

Na semana passada, no entanto, o general Bandeira, autor do texto que chamou Marina Silva de “Fio da Esperança”, garantiu ao DIA que o Clube Militar havia decidido apoiar a socialista em um possível segundo turno para barrar a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Bandeira, inclusive, disse que a instituição aguardava a confirmação de uma possível data de encontro entre a candidata ambientalista e os militares.

Militares mudam de ideia e resolvem apoiar o candidato do PSDBMurillo Constantino / Arquivo Agência O Dia

No texto, Pimentel diz que aguardava a visita de Aécio, mas que o candidato desistiu do encontro após a tragédia com Eduardo Campos em Santos. “A mudança radical do cenário político, em seu desfavor, parece tê-lo obrigado a rever seus compromissos. Avaliou que sua agenda não devia mais nos incluir. Pena também é que seus correligionários já dão sinais de aceitarem a derrota”.

Em “Um fio de esperança”, o general da reserva Clovis Bandeira, conselheiro da diretoria, expressa o posicionamento do clube conhecido por sua polêmica atuação política. “A maioria dos nossos associados seriam eleitores do Aécio, mas a se acreditar nas pesquisas teremos um segundo turno entre a Dilma (PT) e Marina. Então ficaríamos com a Marina. Não é paixão por ela, que também foi criada no PT, mas parece que agora está mais afastada e é a única opção que nos resta”, contou o general.

Questionado sobre o que torna o apoio à candidata do PSB decisivo, Bandeira é incisivo. “O motivo principal é tirar o PT do poder. Acreditamos que o PT já fez muito mal para o Brasil e ainda tem muito mal a fazer e como lhe disse qualquer candidato que vá para o segundo turno contra o PT terá maioria dos votos entre os nossos associados”, explicou.

Últimas de _legado_Eleições 2014