Por fabio.klotz

Rio - A Casa Civil da Presidência da República anunciou nesta quinta-feira que identificou o funcionário que usou computadores do Palácio do Planalto para alterar perfis dos jornalistas Míriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg, de "O Globo" e da Rádio CBN. Após um mês de apuração, a comissão de sindicância chegou ao servidor Luiz Alberto Marques Vieira Filho, funcionário da carreira de finanças e controle.

Em nota, a Casa Civil informou ainda que “será aberto processo administrativo disciplinar (PAD) sobre o caso, assegurados amplo direito de defesa e do contraditório”. E que, ouvido, “o servidor assumiu a autoria”.

De acordo com informações da Casa Civil, Vieira Filho era assessor da Secretaria de Relações Institucionais (SRI) em maio de 2013, quando foram feitas as alterações. Hoje, ele é chefe da assessoria parlamentar do Ministério do Planejamento, “cargo do qual já solicitou desligamento”, de acordo com a Casa Civil. A exoneração do servidor sairá no Diário Oficial da União desta sexta-feira.

Segundo o Portal da Transparência, vinculado à Controladoria Geral da União (CGU), Vieira Filho é funcionário de carreira do Ministério da Fazenda, desde abril de 2007. Em maio, foi cedido ao Ministério do Planejamento. O salário mensal dele é R$ 22.065,61.

A alteração no perfil de Míriam Leitão e de Carlos Alberto Sardemberg, feita entre os dia 10 e 13 de maio, usou informações falsas para qualificar análises da jornalista como “desastrosas” e atribuir a ela a defesa do banqueiro Daniel Dantas, preso por operação da Polícia Federal, o que teria chamado a atenção de Carlos Alberto Sardenberg, companheiro de Míriam na CBN.

Você pode gostar