Por thiago.antunes

Rio - O encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na quinta-feira, em São Paulo, foi decisivo para a mudança de comportamento da campanha do senador Lindberg Farias (PT) ao governo do estado. A partir de agora ele ficará mais agressivo contra seus adversários. Seu alvo preferencial será Anthony Garotinho (PR), conforme informou nesta sexta-feira O DIA.

A reportagem apurou que Lula determinou que o petista cole sua imagem à de Dilma Rousseff, que concorre à reeleição para presidência da República, e a dele mesmo. Imagens do trio já começaram a ser distribuídos para a militância e as placas ficarão mais visíveis nas ruas. “O Lula mandou a militância ir para rua defender Dilma e Lindberg”, afirmou o coordenador de campanha do senador, Washington Quaquá, que também preside o PT no Rio.

Lindberg fez ontem campanha na porta do Estaleiro Ilha S.A. (EISA)%2C na Ilha do Governador Divulgação

Nesta sexta-feira mesmo já foi ao ar na propaganda de TV novo vídeo, gravado no dia anterior, em que Lula lembra a militância de Lindberg. A atitude lhe deu força, segundo seus aliados, já que a outra mensagem de Lula era genérica. O ex-presidente gravara o mesmo pedido de voto para todos os candidatos petistas.

A crítica interna, na campanha, admite dois erros. O primeiro foi o de confiar demais na força da TV. O próprio Lindberg tem vocalizado a análise, quando disse recentemente que nem o filho de 18 anos o vê na propaganda eleitoral. “A audiência está em queda”, afirma ele.

O segundo foi o de focar demais nas propostas, deixando o concorrente, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), se descolar do ex-governador Sergio Cabral e assumir o discurso “do novo”. “Quem o vê, acha que veio direto de Piraí”, ironizou ontem o senador, durante caminhada pelo Saara. Para Quaquá, a queda nas pesquisas somada à rejeição de Garotinho dão nova esperança à campanha. “Seremos a terceira via”, afirma.

Você pode gostar