Por felipe.martins

São Paulo - A quatro dias da disputa eleitoral, a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) está isolada na preferência de votos, com 40% e 39%, segundo pesquisas do Datafolha e do Ibope, divulgadas nesta terça-feira. Os levantamentos indicam quadro indefinido para o segundo lugar, com Marina Silva (PSB) em queda e Aécio Neves (PSDB) subindo nas enquetes.

Infográfico: Veja os números do Ibope e Datafolha para presidente

De acordo com o Datafolha, no primeiro turno, a ex-ministra do Meio Ambiente tem 25% dos votos, contra 20% de Aécio Neves (PSDB). No cenário do Ibope, Marina também tem 25% das intenções de votos. Já o tucano aparece com 19%. Nos dois institutos, a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em comparação com o levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 22, a candidata do PSB teve queda de quatro pontos. Com isso, a diferença dela para Aécio, que era de dez pontos, caiu para seis. Ainda segundo o Ibope, num eventual segundo turno entre a presidenta e Marina, a petista seria reeleita por 42% a 38%. Na simulação entre Dilma e o tucano, também haveria vitória dela, com 45% contra 38%. O instituto ouviu 3.010 eleitores em 203 cidades do dia 27 a 29 de setembro.

Pesquisas indicam quadro indefinido para o segundo lugar. Dilma segue na liderançaDilma - Divulgação Marina e Aécio - Ricardo Rímoli

O quadro eleitoral projetado pelo Datafolha também mostra que a campanha de Marina tem perdido fôlego. No levantamento anterior, a pessebista tinha 27% das intenções de votos. Ao mesmo tempo, Aécio tem apresentado melhora, já que tinha 17%.

Na simulação de segundo turno desse instituto, Dilma venceria as eleições com 49%, se a disputa fosse com Marina, que ficaria com 41%. Se a decisão ficasse entre a atual presidenta e Aécio, Dilma seria também reeleita, com 50%. O tucano ficaria com 41%. O Datafolha ouviu 7.520 eleitores em 311 cidades nos dias 29 e 30.

Para a cientista política e professora da Unirio Clarisse Gurgel, os ataques a Dilma citando a Petrobras se mostraram ineficazes. Ela disse que ainda que o eleitorado do tucano é mais fiel do que o da Marina. “O voto para o Aécio é mais convicto. É, na sua maioria, de rejeição a Dilma, o que significa que oscila menos”. 

Já o eleitor da Marina, segundo Clarisse, é mais flexível. “A candidatura dela, apesar de mostrar solução para os males do país, começa a cair, porque não tem sustentação real”, afirmou.

Você pode gostar