Desabafos no último ato antes da votação para governador

Em Barra Mansa, Pezão disse que considera uma ‘vitória’ liderar intenções de voto. Garotinho se classificou como um ‘sobrevivente’ em carreata em Caxias

Por O Dia

Rio - O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) defendeu-se ontem das possíveis alianças que seus adversários estão articulando contra ele em um possível segundo turno. O atual governador afirmou, em seu último ato divulgado de campanha, em Barra Mansa, que “não faz aliança com político, mas sim com partidos”. Ele afirmou que buscará apoio de todos os candidatos que não fossem com ele para o segundo turno. Anthony Garotinho (PR) fez carreata ontem em Duque de Caxias.

Lindberg Farias (PT) e Marcelo Crivella (PRB) fizeram dobradinha de perguntas e respostas para excluir Pezão, no último debate dos candidatos ao governo, terça-feira, na TV Globo. Anthony Garotinho (PR) também já sinalizou que flertará com Marcelo Crivella em segundo turno.

Pezão declarou que seus adversários fizeram um “jogo muito baixo” contra ele. “Não vi uma proposta dos meus adversários. Eles foram comentaristas do que já fizemos. Criticaram as UPPs, as UPAS, o Arco Metropolitano. São engenheiros de obras prontas e comentaristas do que a gente fez.”

O governador afirmou que não acredita em vitória sua em primeiro turno por considerar os seus adversários fortes. “Enfrentei o Garotinho, que foi governador e elegeu a sua mulher no primeiro turno. Lindberg saiu como grande liderança no PT. O senador Crivella disputou várias eleições. O Psol saiu forte das manifestações. Num quadro desses, estar no final na frente nas pesquisas é uma vitória para mim que nunca disputei eleição desse porte”, declarou.

No último ato de campanha antes do primeiro turno, Garotinho afirmou ser um ‘sobrevivente’ e disse desconhecer pesquisas que o colocam em empate técnico com Crivella, como revelou o levantamento do Datafolha divulgado ontem.

“Enfrentei 18 partidos políticos e uma campanha que usou a máquina pública de forma ilegal e gastou R$ 100 milhões oficialmente, mas que deve ter gasto uns R$ 300 milhões de caixa dois. Foram 1.800 candidatos contra menos de cem. Com isso tudo, a gente está aqui. Então, considero que sou um sobrevivente”.

Ao ser perguntado sobre a proximidade de Crivella, segundo pesquisas de intenção de voto, desconversou. “Não é o que aparece nas minhas pesquisas (internas).” Garotinho fez carreata ao lado de Linda Zito (PTB), candidata a deputada federal e filha do ex-prefeito de Caxias, José Camilo Zito. O ex-governador prometeu dobrar o orçamento aplicado na área da Saúde e fazer investimentos em segurança pública e saneamento básico na Baixada.

Últimas de _legado_Eleições 2014