Por thiago.antunes

Porto Alegre  - Conhecido por seu trabalho à frente da prefeitura de Caxias do Sul, José Ivo Sartori (PMDB) surpreendeu na reta final da eleição, no Rio Grande do Sul. Ele terminou o primeiro turno à frente do candidato à reeleição, Tarso Genro (PT), com 40,66% contra 32.37% do petista, apuradas 94% das urnas. A candidata do PP, Ana Amélia, que liderou pesquisas de intenções de votos até as últimas semanas, sequer conseguiu vaga no segundo turno, acumulando 21,67% dos votos.

Sartori surgiu como azarão e beneficiou-se das acusações a Ana Amélia, atacada por ter tido um cargo comissionado no Senado no gabinete de seu ex-marido, já falecido, enquanto acumulava o cargo de diretora de sucursal de uma grande empresa de comunicação.

José Ivo Sartori votou em Caxias do Sul no início da tarde de domingoAgência RBS

Depois de votar no centro de Caxias, para onde foi de avião após acompanhar em Porto Alegre o voto do candidato a vice de Marina Silva, Beto Albuquerque (PSB), Sartori fez o sinal de positivo e comentou sua expectativa que se confirmou.

“Desde o começo, a minha caminhada sempre foi em cima de uma postura de respeito às diferenças. Sempre tive como referência que não iria concorrer se não tivesse a possibilidade de chegar ao segundo turno”, disse o candidato, que tem uma imagem de bom gestor.

O governador Tarso Genro, ex-ministro da Educação no governo Lula, disputa pela terceira vez o cargo no Palácio Piratini — na primeira vez, perdeu. Ele cresceu na reta final da campanha junto com as intenções de voto da presidenta Dilma. Se vencer, será a primeira vez na história que o estado vai reeleger um governador. Sartori estreia na disputa ao cargo. Para o Senado, foi eleito Lasier Martins (PDT).

Você pode gostar