Por thiago.antunes

Minas Gerais - As derrotas do Partido dos Trabalhadores (PT) em São Paulo, onde Alexandre Padilha ficou em terceiro lugar para governador e Eduardo Suplicy perdeu sua vaga no Senado para José Serra (PSDB), foram compensadas por Minas Gerais. Confirmando a boca de urna e as pesquisas, Fernando Pimentel, ex-Ministro de Desenvolvimento de Dilma Rousseff, derrotou Pimenta da Veiga (PSDB), candidato do presidenciável Aécio Neves, e conquistou o governo mineiro logo no primeiro turno.

Pimentel assina comprovante antes de votar em Belo Horizonte. Eleito governador no 1º turno%2C atacou Aécio e disse que Minas “não tem dono”O Tempo

Na última parcial do TSE, que confirmou a vitória com 96,69% das urnas apuradas, Pimentel tinha 5,1 milhões de votos (52,84%). Pimenta da Veiga, ex-prefeito de Belo Horizonte, somava 4,1 milhões de votos (42,01%). Tarcisio Delgado, do PSB, tinha 381 mil. Minas Gerais é o segundo maior colégio eleitoral do país, com 15,2 milhões de eleitores e, com a vitória, em que Aécio Neves foi derrotado em seu próprio estado, o PT equilibra o jogo.

Durante a votação, Pimentel evitou apostar na vitória ainda no primeiro turno. “Pesquisa boa quem faz é o TRE. Vamos esperar as urnas serem abertas e os votos serem contados. Respeito os votos dos mineiros”, disse o ainda candidato, tentando conter o otimismo.

Nascido em 1951, Fernando Pimentel foi prefeito de Belo Horizonte em 2000, quando assumiu na vaga de Célio de Castro, afastado por problemas de saúde. Em 2002, foi candidato e se reelegeu. Após ter confirmada sua eleição, o candidato do PT, no entanto, não se conteve e partiu para o ataque a Aécio Neves, antecipando a disputa que Dilma travará com o candidato. “Minas não tem imperador, não tem dono”, disse, para a alegria de seus correligionários. Para o Senado foi eleito Antônio Anastasia, do PSDB, com 56% dos votos.

Você pode gostar