Por paloma.savedra

Rio - Em uma segunda-feira decisiva para os que buscam apoio na disputa do segundo turno ao governo do Rio, o candidato e governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), contou que ligou para o adversário derrotado Lindberg Farias (PT) e questionou o senador sobre um possível apoio: "Ele (Lindberg) falou que tendia a apoiar Crivella. Eu fiz um apelo para que ele ouvisse as minhas propostas.", disse Pezão.

Além disso,  o peemedebista declarou que podem haver "novidades nas alianças" para o segundo turno. O candidato-governador, no entanto, preferiu manter a informação em segredo. "Na hora certa eu vou revelar", declarou. Pezão também pocurou o senador eleito Romário (PRB), que ainda não assumiu uma posição.

Pezão concedeu entrevista em frente ao Palácio das Laranjeiras%2C na Zona Sul da cidade%2C um dia após conseguir ir para o segundo turnoErnesto Carriço / Agência O Dia

Sobre o apoio de Anthony Garotinho (PR) a Crivella (PRB), o governador disse que "já era esperado": "É natural. Os dois demonstraram perfis parecidos em suas campanhas", declarou ele, que completou: "É natural todos os candidatos procurarem outros partidos e outros candidatos. Eu estou procurando desde ontem a noite todos os partidos", disse.

Apesar de não ter apresentado uma aliança, o candidato demonstrou otimismo: "Está muito cedo. Conversei hoje com diversos prefeitos, deputados, presidentes de partidos. Vamos aguardar mais 48 horas. Vamos ter muita novidade por aí. Não vou citar nomes, não quero expor essas pessoas. Mas estou conversando e ligando para todos".

Candidato à reeleição, o governador Pezão saiu na frente no primeiro turno com 32 milhões de votosErnesto Carriço / Agência O Dia

Pezão disse ainda não ter sido surpreendido com o resultado do primeiro turno, em que Crivella ficou na frente de Garotinho, contrariando todas as pesquisas: "Não fiquei surpreso. Poucos estados tiveram candidaturas tao fortes como as daqui", opinou. 

Ainda nesta segunda-feira, Pezão se reunirá com Michel Temer (PMDB), vice-presidente da República, que deve dar um indicativo sobre o posicionamento da presidenta Dilma Rousseff (PT), que será colocada na berlinda entre os dois candidatos ao governo do Rio. 

Nesta terça-feira, Crivella se reunirá com Garotinho. Após o resultado da apuração, neste domingo, o senador adiantou que procuraria todos os partidos. “Vou falar com o Psol, com Garotinho, com Lindberg”, declarou, acrescentando que seus prováveis aliados não irão necessariamente interferir num possível governo.

A possibilidade não assusta Pezão, entretanto: “Antes, eu apanhava dos quatro. Agora, vou apanhar só de um. Tenho ótimo relacionamento com o Lindberg e vou procurar o PT", declarou ele, também após o resultado da apuração. 

Você pode gostar