Por paulo.gomes

São Paulo - Aos 83 anos e pleiteando um cargo público pela 23ª vez, Paulo Maluf (PP) recebeu 250.296 votos na eleição deste domingo, o que o colocaria como o oitavo deputado federal mais votado por São Paulo. Os votos, porém, não têm validade no pleito, pelo menos até sair a decisão final sobre sua elegibilidade.

Maluf teve sua candidatura indeferida pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por conta da Lei da Ficha Limpa, ao ser condenado em 2013 por superfaturamento na obra do Túnel Ayrton Senna, quando foi prefeito de São Paulo, entre 1993 e 1996. O tribunal ordenou que ele devolvesse R$ 42,3 milhões aos cofres públicos, além de proibi-lo de disputar eleições por cinco anos. O político entrou com recurso no STF (Supremo Tribunal Federal) e, com o caso em andamento, ele pôde ter o nome mantido nas urnas eleitorais.

Na tarde de domingo, ao sair para votar, na Faculdade de Engenharia de São Paulo, Maluf disse estar otimista em reverter a situação. "Confio na Justiça. Não estou cassado, estamos no Estado de Direito e minha candidatura está registrada."

Você pode gostar