Dilma e Aécio usam jingles para trocar acusações no programa eleitoral

Na reestreia do horário eleitoral gratuito, nas rádios, os dois candidatos à Presidência trocaram ataques

Por O Dia

Rio - Na reestreia do horário eleitoral gratuito, anteontem pela manhã, nas rádios, os dois candidatos à Presidência desferiram ataques e desceram o tom das acusações para tentar minar o adversário no segundo turno. Embalados por jingles, os programas no rádio miraram nos eleitores que poderão decidir o resultado do segundo turno, em 26 de outubro.

Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) trocaram acusaçõesDivulgação / Agência Brasil

Com o refrão: “quem compara sabe, quem compara pode ver, que o Brasil de hoje é outro bem melhor de se viver”, Dilma Rousseff (PT) reproduziu trechos do primeiro programa da TV, transmitido na quinta-feira, para atrelar ao candidato do PSDB a um ‘passado de recessão’. “Não faço ataques pessoais ao adversário. Mas é fato que ele representa o modelo que quebrou o país três vezes, abafou todos os escândalos de corrupção e privatizou o patrimônio público a preço de banana”, disse a candidata à reeleição.

Aécio Neves (PSDB) explorou o escândalo de corrupção envolvendo a Petrobras e o PT. E aproveitou para alfinetar Dilma Rousseff ao lembrar os presos do ‘mensalão’. Em ritmo de samba, um dos jingles que foi ao ar cantava: “o PT de sempre chegou e lá vem jogando pedra”. Nem parece que é culpado porque a inflação voltou. (...) Que tem gente na cadeia pela grana que roubou”.

A artilharia tucana lembrou as denúncias sucessivas contra o atual governo. “Me lembrei da época do mensalão, em que Lula dizia que não sabia de nada. Agora a presidente Dilma também não sabia de nada. Será que não está na hora de colocar um governante mais informado sobre as coisas que acontecem? Porque isso tem que ter um fim”, disse.

O tucano criticou a boataria da campanha petista e voltou a dizer que é preciso resgatar ‘bons valores”.
Em mais uma tentativa de angariar o máximo número possível de eleitores para o segundo turno das eleições, o presidenciável Aécio Neves está propondo uma ‘corrente’ pelo voto ou uma espécie de ‘pirâmide’, em que cada pessoa deve convencer outras a votar no ex-governador de Minas Gerais. Um vídeo do candidato produzido por sua equipe de campanha começou a ser enviado para usuários do WhatsApp, pelo telefone celular. Nele, o tucano faz um convite a todos que receberam o vídeo para que o repasse para seus amigos.

Perseguição à imprensa

A campanha de Dilma na TV explorou a suposta censura à imprensa durante a gestão de Aécio Neves para atacar o tucano, ontem, no segundo dia de propaganda eleitoral. Segundo o programa político, documentários veiculados na Internet revelaram que jornalistas que criticaram o governo do candidato mineiro teriam sido demitidos. Dilma diz que Aécio entrou na Justiça pedindo a remoção de links do Google que traziam fatos contra ele.

O tucano reproduziu parte do debate de quinta-feira, na Band, se mostrando indignado diante de denúncias sucessivas de corrupção no governo petista e disse que não pretende privatizar a Petrobras, mas reestatizá-la, tirando-a das mãos do PT. Na batalha pelo vitória no segundo turno, Aécio vai concentrar os ataques detalhando a Operação Lava Jato e o suposto esquema de pagamento de propina a três partidos da base aliada do governo.

Últimas de _legado_Eleições 2014