Por paloma.savedra
Publicado 26/10/2014 14:10 | Atualizado 26/10/2014 15:02

Rio - Depois de um primeiro turno conturbado (no último dia 5), com a implantação do sistema de biometria que causou longas filas e esperas de duas horas para votar, os eleitores de Niterói voltaram a enfrentar problemas em algumas seções do município na manhã deste domingo. Mesmo com um segundo turno de filas menores e sem registros de confusão, os cidadãos relataram lentidão do sistema de biometria e filas de até 50 minutos.

Eleitores esperam na fila para votação biométrica no Colégio Leopoldo Fróes%2C no Largo da Batalha Alexandre Vieira / Agência O Dia

Na zona eleitoral 72, no Largo da Batalha, os eleitores tiveram de esperar 50 minutos na fila das seções 57 e 59. O mesmo tempo de espera foi registrado por quem votou no Colégio Gauss, em Icaraí, especificamente na seção 62, que fica na zona 142.

Niterói tem votação lenta com biometria

A aposentada Heloísa Abreu, 61 anos, ficou em pé por 45 minutos na fila do colégio. Ela contou que fez oito tentativas para que a máquina registrasse suas digitais, assim como no primeiro turno: "Mesmo assim, o aparelho não leu minhas digitais. No primeiro turno, ainda esperei duas horas e meia na fila. Se hoje o panorama fosse o mesmo, provavelmente eu não iria ficar e iria pagar multa depois", reclamou ela. 

Quem votou nesta manhã no colégio Nossa Senhora da Assunção, em São Francisco, não reclamou de fila. Porém, todos os eleitores que passaram na zona eleitoral relataram lentidão na máquina. "O sistema biométrico continua lento. A máquina está demorando muito para fazer o resgistro do eleitor. Agora está calmo, porque está cedo. Mais tarde pode ocorrer algum problema", disse a administradora Patrícia Ramos, de 32 anos.

TRE garante votação tranquila no município

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), a previsão é de que a votação em Niterói, neste segundo turno, não registre problemas. Para a diretora geral do tribunal, Adriana Brandão, o fato de o número de candidatos ser menor que no primeiro turno também vai acelerar a votação. 

"Nossa expectativa é das melhores, porque, independentemente de qualquer medida que já tenhamos tomado, Niterói ou qualquer lugar vai ter muito mais celeridade no processo de votação", disse. 

Até o meio-dia, o TRE substituiu 212 urnas no estado, o que equivale a 0,65% do total. Foram quatro em Niterói; uma em Buzios e 109 na capital.

Você pode gostar