Por thiago.antunes
Publicado 26/10/2014 20:50 | Atualizado 26/10/2014 20:55

Rio - O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) foi reeleito com pelo menos 56,07% dos votos válidos, de acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Com 94%¨das urnas apuradas, portanto, Pezão ficou matematicamente na frente. Seu adversário, Marcelo Crivella (PRB), computou 43,93%

Pezão acompanhou a contagem dos votos no Hotel Flórida, no Flamengo, Zona Sul do Rio. Ao seu lado estavam Sérgio Cabral, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Paulo Melo, o prefeito Eduardo Paes, e os deputados federais Joge Picciani e Pedro Paulo. Os votios brancos somam 3,35% e nulos 13,93%.

Governador e candidato do PMDB à reeleição do Governo do Rio%2C Luiz Fernando Pezão%2C chega no bairro de Ribeirão das Lajes%2C em Piraí%2C para votarFoto%3A Agência O Dia / Ernesto Carriço

No primeiro turno, a eleição do Rio contou, durante a maior parte do processo, com a indecisão entre os três principais nomes – Pezão, Crivella e o do ex-governador Anthony Garotinho. O atual governador terminou o primeiro turno com 40,57% dos votos. Crivella ficou com 20,26%, enquanto Garotinho terminou a disputa com 19,73%.

Derrotados, Garotinho e o petista Lindberg Farias, que ficou em quarto lugar, com 10% dos votos, resolveram apoiar o senador Crivella no segundo turno.

Pezão garante três mandatos consecutivos ao PMDB

Atual ocupante do Palácio da Guanabara, Luiz Fernando Pezão é ex-prefeito de Piraí, no interior do Estado, e foi secretário de Governo durante o mandato de Rosinha Garotinho (PR), mulher de Anthony.

Pezão foi eleito vice-governador em 2007 e 2014 na chapa de Sérgio Cabral. Em abril, desgastado por protestos que culminaram numa ocupação em frente ao seu apartamento, Cabral deixou o governo para dar visibilidade a Pezão. A impopularidade do então governador não atingiu seu substituto. Após iniciar a corrida atrás de Garotinho e Crivella nas pesquisas, Pezão avançou e terminou o primeiro turno na frente.

Reeleito no segundo turno contra Crivella, garante agora o terceiro mandato consecutivo do PMDB no governo do Rio de Janeiro.

Você pode gostar