Por bianca.lobianco

Rio - O candidato derrotado à Presidência Aécio Neves (PSDB) afirmou que saiu da campanha “mais vivo do que nunca e mais sonhador do que nunca”. Em um breve pronunciamento em Belo Horizonte ontem, após a confirmação da reeleição de Dilma Rousseff (PT), ele pediu a união dos brasileiros.

Aécio faz pronunciamento depois de saber da derrota%3A 'A maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado'Reuters

“Considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado, que dignifique a todos os brasileiros”, afirmou. Apesar da derrota em sua primeira campanha presidencial, Aécio saiu da disputa cacifado como líder da oposição e potencial candidato em 2018, com um capital político de mais de 50 milhões de votos. A idade — tem 54 anos — também o credencia para novas tentativas no futuro.

Com mais quatro anos de mandato no Senado, espera-se que ele arregimente correligionários que entrarão na Casa em 2015 — como José Serra, Antônio Anastasia e Tasso Jereissati — e faça uma oposição mais vigorosa ao governo. “Ele sai maior do que entrou e vai ser um interlocutor importante entre as diversas oposições”, avalia o cientista político da URFJ Paulo Baía.

Para Fernando Lattman, cientista político da Fundação Getúlio Vargas, o senador não deve repetir a atuação apagada que teve na primeira metade do mandato de senador. “A tendência é uma radicalização da oposição. O Senado era uma casa onde o governo já tinha certa dificuldade. Do ponto de vista dos nomes, a bancada vai ser uma dor de cabeça para Dilma”, avalia.

O maior golpe sofrido por Aécio em sua derrota foi a vitória de Dilma em Minas Gerais, estado natal do candidato e tradicional reduto tucano. No estado, a presidenta teve 52,41% dos votos válidos e Aécio ficou com 47,59%, com 99,99% das urnas apuradas. Além disso, o PSDB perdeu o governo do estado após 12 anos para o petista Fernando Pimentel (PT).

Em seu discurso, Aécio não mencionou o estado. Ele agradeceu aos eleitores do estado de São Paulo, que o elegeram com 64,31% dos votos. “São Paulo é o que retrata de forma mais clara o sentimento que tenho na minha alma e no meu coração”. afirmou o tucano.

MARINA SILVA

Aliada de Aécio, Marina Silva (PSB) também saiu derrotada no segundo turno. “Ela vai ter algum ônus por ter escolhido um lado que perdeu, mas se afirmou como liderança”, afirma Lattman. Ontem, no Acre, Marina afirmou que não vai ficará na “cadeira cativa” de candidata. “Volto para para a militância socioambiental de cabeça erguida. Além da maravilhosa votação que o estado Acre me deu, o Brasil me deu 22 milhões de votos”, comemorou Marina Silva.

Você pode gostar