Por cadu.bruno
Publicado 27/10/2014 09:34 | Atualizado 14/09/2016 14:44

Rio - Superado por Luiz Fernando Pezão (PMDB) no segundo turno, Marcelo Crivella (PRB) afirmou que acompanhará o julgamento dos processos de cassação de registro a que seu adversário responde no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). Caso o peemedebista obtenha êxito, Crivella tentará um ‘terceiro turno’ no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Em nome de cada eleitor que votou em mim, vou à Justiça, porque há treze pedidos de cassação do Pezão. Acho prematuro ele comemorar a vitória”, disse Crivella, em coletiva após a divulgação do resultado do pleito. Ele afirmou que nove das ações foram propostas pela Procuradoria Regional Eleitoral. Em caso de cassação, Pezão perderia o diploma e assumiria o segundo colocado na disputa, no caso, Crivella.

Crivella%3A senador ainda não pensa em disputar prefeitura em 2016Fernando Souza / Agência O Dia

“Nossa luta continua, agora nos tribunais. Se formos derrotados no TRE, meus advogados recorrerão ao Tribunal Superior Eleitoral. Lá em Brasília, o julgamento estará livre de influências regionais”, declarou o senador do PRB.

Crivella afirmou ainda que a conduta do peemedebista no último debate da TV Globo deveria tê-lo levado à prisão. “Pezão anunciou que fez um site de maledicências e declarou isso no debate. Nunca se viu isso. Um réu confesso. Em outra situação, tinha que sair algemado de lá. É um absurdo”, disse.

Pezão esmaga três de uma vez: Lindberg, Garotinho e Crivella

O senador disse ver na reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT) um alento. “Estou pesaroso pela derrota, mas a vitória da Dilma compensa a tristeza. Ela garante o avanço do salário mínimo, do pré-sal e do Bolsa Família.”

O marqueteiro de Crivella, Lula Vieira, afirmou que se tratou de uma luta de Davi contra Golias em termos de recursos financeiros. “O Davi quase ganhou do Golias. Conseguiu passar do primeiro turno. Solidifica-se um político muito importante no estado do Rio, que é o Crivella. Antes desta eleição, ele era conhecido de apenas um segmento. O Pezão ganhou, mas o Crivella não perdeu”, disse.

O dia do candidato do PRB começou cedo. Ele chegou pontualmente às 9h do domingo para votar no Clube Marimbás, no Forte de Copacabana. Ao lado da mulher Sylvia Jane e dos dois filhos, entrou na seção e espalmou as mãos no alto para fazer o número dez, que simboliza a sua candidatura. Depois, Pezão seguiu de carro para a comunidade do Jacarezinho.

Você pode gostar