Por fabio.klotz
França - O capitão da seleção brasileira, Thiago Silva, nunca escondeu a paixão que tem em vestir a camisa amarela, mas nem por isso tenta tapar o sol com a peneira. O zagueiro do Paris Saint Germain acredita que a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari está entre as melhores do planeta, mas, no momento, vê uma outra na frente de todas as demais.

“Hoje, pelos últimos resultados, a melhor seleção do mundo é a da Espanha, mas existem equipes de alto padrão e o Brasil sempre tem que estar entre essas. Tanto pelo talento de seus jogadores, quanto pelo seu currículo ao longo da história no futebol”, afirmou o defensor que se destacou no confronto entre PSG e Barcelona, na Liga dos Campeões da Europa, e tem uma ideia de como parar o toque de bola espanhol.

“Tentando sempre diminuir os espaços e ter atenção o tempo todo. O talento individual deles é grande mas, com concentração, é possível diminuir o risco de eles conseguirem sucesso nas tentativas”, explicou.

Thiago Silva fez elogios para a seleção espanholaMárcio Mercante / Agência O Dia

Thiago sabe que a seleção brasileira está entre a cruz e a espada ou, mais precisamente, entre a euforia de um título na Copa das Confederações, que começa mês que vem, e o pessimismo que um resultado ruim pode causar em toda uma nação que respira futebol:
“Ambos os aspectos precisam ser encarados com muito cuidado, pois a conquista muitas vezes engana e achamos que estamos bem.

Enquanto nos fracassos precisamos aprender com o que erramos”, filosofa o capitão que não teme o peso das vaias, como aconteceu no último jogo da Seleção, contra o Chile, no Mineirão.
Publicidade
“Temos que encarar que sempre podemos melhorar e temos possibilidade para isso. Mas, acima de tudo, sermos respeitados e respeitarmos a opinião publica e a do torcedor”.
Temporada positiva
Publicidade
Em sua primeira temporada no PSG, Thiago foi campeão francês e indicado ao prêmio de melhor jogador da competição e ficou feliz com o balanço do ano.
Thiago Silva fez boa temporada no PSGEfe

"Apesar do início difícil em relação a adaptação de cultura, forma de jogo, que tem mais contato, entendo que foi positivo, já que conquistamos o Francês e fomos bem na Liga dos Campeões da Europa”, disse Thiago, que elegeu o inglês Rio Ferdinand, do Manchester United como o melhor do mundo na sua posição.

Sobre o assunto mais comentado da semana no mundo, Thiago lamentou a aposentadoria do inglês David Beckham com quem já havia jogado no Milan. “Ele é um grande profissional. O futebol precisava ter vários iguais a ele. Certamente fará falta. Vou torcer para que continue envolvido no futebol, pois o esporte necessita de grandes profissionais”.

O sonho de levantar a taça de campeão do mundo no Maracanã, estádio onde fez história com o Fluminense é tema constante dos sonhos do zagueiro que mira 13 de julho de 2014, dia da final da Copa do Mundo.
Publicidade
“Se eu te falar que não penso nisso todos os dias, estarei mentindo. Mas para isso ocorrer é preciso muito trabalho e dedicação”, finalizou o jogador.