Por felippe.franco
Publicado 31/05/2013 13:09 | Atualizado 31/05/2013 14:43

Inglaterra - A imprensa britânica se mostrou incrédula nesta sexta-feira diante da decisão da Justiça brasileira de autorizar o amistoso entre Brasil e Inglaterra no estádio do Maracanã horas depois de ter proibido a realização do mesmo por questões de segurança.

A partida, que será disputada neste domingo e supõe a inauguração oficial do estádio após três anos de obras, foi cancelado ontem depois de uma ação civil pública iniciada pelo Ministério Público Estadual, que denunciou a ausência de "laudo de vistoria de engenharia, de prevenção e combate de incêndio, de condições sanitárias e de higiene".

Imprensa britânica repercute polêmica após liberação do MaracanãReprodução Internet

Posteriormente, essa mesma decisão foi revogada "mediante a um recurso do Governo do Estado com a apresentação do laudo da PM que comprova o cumprimento de todas as regras de segurança no Maracanã", apontou a nota da administração estadual.

A veloz contra-ordem foi qualificada como um "caos" pelo jornal britânico "The Times", principalmente pela proximidade da Copa das Confederações, que será realizada no país entre os dias 15 e 30 de junho, na qual o Maracanã sedia a partida de abertura. Citando fontes ligadas à Federação de inglesa de futebol, o jornal britânico destaca que o detonante desta decisão não foi tanto um suposto problema técnico do estádio, mas um "conflito local" entre dois políticos por "questões de tramitação de papéis".

O "The Guardian", por sua vez, foi mais duro em sua análise, na qual assegura que a inicial suspensão do amistoso "desperta os piores temores do país sobre os preparativos do Copa do Mundo de 2014". "A decisão no último minuto de suspender o que se supunha ser uma partida profissional se acrescenta a uma lista de atrasos, controvérsias e faltas de respeito que os anfitriões insistem em realizar", aponta o jornal.

Operários aindam trabalham para entregar as obras do entorno do MaracanãErnesto Carriço / Agência O Dia

De acordo com o "The Guardian", se o cancelamento fosse mantido teria suposto "a humilhação e a frustração" dos torcedores da seleção brasileira que, através do pagamento de seus impostos, financiaram a reforma do Maracanã, agora com capacidade para receber até 78 mil pessoas.

"Brasil-Inglaterra seguirá após uma nefasta tramitação de papéis", intitula o sensacionalista "The Sun", que também exibe uma foto na qual se mostra as obras nos arredores do estádio. Em sua análise, o jornal destaca que o descumprimento dos prazos se transformou em algo "vergonhoso" para as autoridades locais, brasileiras e para Fifa, que esperava que os trabalhos "estivessem encerrados em dezembro de 2012".

Você pode gostar