Por felippe.franco
Publicado 01/06/2013 22:32 | Atualizado 01/06/2013 22:33

Rio - Para quem passava na frente do novo Maracanã diariamente era difícil acreditar que as obras do entorno estariam prontas até hoje, dia da reinauguração do estádio. E é verdade. Apesar do muito trabalho, obras ainda estão sendo feitas e o tradicional “jeitinho brasileiro” foi dado para que o único evento-teste antes da Copa das Confederações aconteça.

Duas áreas apresentam mais problemas do que as demais. Perto do Célio de Barros e nos arredores do Museu do Índio. No estádio de atletismo, que virou depósito da obra do Maracanã, pedras estão ao alcance da mão. 

Horas antes do amistoso entre Brasil e Inglaterra%2C obras seguiam no entorno do MaracaAndré Mourão / Agência O Dia

Dentro do museu do Índio, muitos restos de obra podem ser facilmente visualizados como tijolos, pedras e pedaços de pau, possivelmente restos da resistência indígena. Ainda nas cercanias, onde ficava o ministério da Agricultura, a lama, tratores e vergalhões dão as cartas.

Para aumentar a segurança dos torcedores, centenas de grades estão maquiando o estádio e aumentando uma área interditada dando a certeza que ainda existe muito trabalho pela frente.

Problemas dentro do estádio

Não é só no entorno que ainda há muitas obras. Dentro do Maracanã, os estacionamentos ainda têm muito entulho. No Centro de Imprensa, um forro na parede mostra um belo ambiente, escondendo sujeira e material de uma obra inacabada.

Quem quiser comer no maraca terá que colocar a mão no bolso. Um mate custa R$ 8 e um pacote de amendoim R$7. Produtos que se encontra no mercado por bem menos da metade do valor.

A Secretaria Municipal de Obras (SMO) do Rio de Janeiro garante que hoje nenhum operário estará mais trabalhando no local, mas certamente na segunda-feira eles terão muito trabalho.

Serviço

Segundo a Prefeitura do Rio, é proibido estacionar nas ruas ao redor do estádio e as mesmas serão fechadas para carros das 10h às 20h. A operação serve de teste para o Maracanã nos três jogos da Copa das Confederações (Itália x México, 16 de junho; Espanha x Taiti, 20 de junho; e a final de 30 de junho).

O entorno do estádio vai ser monitorado por 42 câmeras, operadas por técnicos da CET-Rio no Centro de Operações, com 450 controladores de trânsito e agentes da Guarda Municipal, além de 37 painéis de mensagens para os motoristas e dez reboques.

Alterações no trânsito: A Rua Prof. Eurico Rabelo funcionará em mão dupla para veículos autorizados e de serviço. O viaduto Oduvaldo Cozzi funcionará exclusivamente para pedestres. O acesso a São Cristóvão, pelo viaduto junto à Estação, estará bloqueado. Os veículos deverão utilizar a Rua Ceará ou seguir até o Viaduto da Mangueira

Metrô: Torcedores com ingressos para os setores A, B e C devem utilizar a estação Maracanã. Para o setor D devem utilizar a Estação São Francisco Xavier. Torcedores com ingressos para os setores E e F devem utilizar a Estação São Cristóvão. Usuários com direito a gratuidade devem utilizar a estação São Cristóvão para o setor D e a estação Maracanã para a o setor A. A partir das 13h, a transferência entre as linhas 1 e 2 do metrô será entre as estações Central e Botafogo.

Você pode gostar