Ronaldo: 'Copa não se faz com hospital, mas com estádios'

Atacante deu opinião sobre situação do Brasil

Por O Dia

Rio - Na sua apresentação oficial como membro do Conselho de Administração do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo, Ronaldo falou sobre os gastos públicos que estão sendo feitos para a competição, que são um dos principais motivos dos protesto ocorridos no Brasil nos últimos dias. Para o ex-jogador, a organização do evento não tem pecado.

Ronaldo ao lado de ValckeCarlos Moraes / Agência O Dia

''Está se gastando dinheiro com segurança, saúde, mas sem estádio não se faz Copa. Não se faz Copa com hospital. Tenho certeza que o governo está dividindo os investimentos'', afirmou o Fenômeno.

Segundo o ex-jogador, a Copa do Mundo deixará um real legado para o povo brasileiro, após o seu término.

''O Povo tem de se sentir orgulhoso de pagar imposto e ver que vão ser feitas coisas importantes. Coisas que ficarão para a gente. Teremos estádios, ferrovias, estradas... Tudo ficará para o povo'', disse.

Sobre o custo dos ingressos, Ronaldo garantiu que haverá cerca de 300 mil ingressos com preços populares para o Mundial que será disputado em 2014.

Últimas de Esporte