Nem tudo azul: Consórcio do Maracanã segue com problemas de negociação

Novo dono do Maracanã tem até setembro para fechar com dois clubes e não perder o estádio

Por O Dia

Rio - A Copa das Confederações acabou no último domingo com o título da seleção brasileira. Para os clubes, o Maracanã já tem data para reabrir. Será no próximo dia 21 no clássico entre Fluminense e Vasco. Na próxima terça-feira, a Fifa passará o estádio ao consórcio Maracanã S.A, vencedor da licitação e que explorará o estádio por 35 anos. Porém, a vida não está fácil para a Odebrecht, IMX (do empresário Eike Batista) e AEG que compõem o consórcio. Eles tem até o dia 14 de setembro para fechar contrato com dois clubes e caso não façam podem perder a concorrência.

Como Vasco e Botafogo já têm estádios, a questão fica restrita a Flamengo e Fluminense. O Glorioso está perto de acertar por dois anos, porém o edital diz que é preciso um contrato de 35 anos para validar a proposta que consiste no pagamento de uma parcela anual de R$ 5,5 milhões por 33 anos além de investimentos previstos em contratos que ultrapassam os R$ 590 milhões.

Consórcio ainda não fechou acordo com clubesEduardo Cardoso / Agência O Dia

O vice-presidente de finanças do Flamengo, Rodrigo Tostes, diz que o clube segue negociando com o consórcio, mas não abre mão de conseguir uma receita de pelo menos R$ 60 milhões anuais.

“Estamos em negociação. Eles fazem uma proposta, apresentamos uma contra-proposta e assim vai. Se não conseguirmos um acordo vamos ver outras possibilidades”, disse Tostes que não colocou prazo para o término nas negociações:

“O Flamengo não tem nenhuma faca no pescoço. Queremos jogar no Maracanã. Podemos negociar um contrato mais curto também, talvez de 10 anos. Vai depender das negociações”, afirmou.

O Fluminense também negocia com o consórcio e está mais perto de um acordo do que o Flamengo. Procurado pelo ATAQUE, a assessoria de imprensa do Fluminense confirmou que o presidente do clube Peter Siemsen e o superintendente Jackson Vasconcellos estão tratando dos assuntos referentes as negociações com o novo Maracanã e que seria impossível qualquer contato com dirigentes. O Consórcio Maracanã S.A preferiu apenas se manifestar a partir de terça-feira quando assumir o estádio.

Últimas de Esporte