Por rafael.arantes

Minas Gerais - Após a conquista do título da Copa Libertadores, na última noite, sobre o Olimpia, o jovem Bernard se deparou novamente com os questionamentos sobre uma possível saída do Atlético-MG. Com o interesse cada vez mais consistente do Arsenal, da Inglaterra, o meia chegou a contar com a despedida de Alecsandro, que durante a comemoração do título não se conteve e declarou aos ouvidos do craque: "Vai com Deus, vai com Deus. É merecido". No entanto, o adeus de um dos craques do time campeão da Libertadores antes da disputa do Mundial não é novidade para os clubes brasileiros, que conviveram com a situação nas últimas cinco conquistas do país.

Enquanto Bernard ainda convive com a incógnita sobre seu futuro no Atlético-MG, ao olhar para o passado o jovem se depara com outros craques que não conseguiram suportar as investidas dos grandes clubes do exterior após colocarem as mãos na tão cobiçada taça da Copa Libertadores da América. Diego Tardelli, Rafael Sobis, Taison, Zé Eduardo, Leandro Castán e Alex foram os nomes mais cobiçados e que acabaram não disputando o mundial de clubes na sequência da conquista sul-americana.

Bernard segue com futuro indefinido no Atlético-MG e pode ser vendido ao ArsenalDivulgação

ADEUS APÓS TÍTULO: CASOS SEMELHANTES NO PASSADO

Em 2005, Diego Tardelli marcou o último gol do São Paulo na goleada por 4 a 0 sobre o Atlético-PR na decisão do torneio, mas acabou sendo emprestado ao Betis, da Espanha, após ser preterido pelo treinador Paulo Autuori e não disputar o Mundial de Clubes. Na temporada seguinte, Rafael Sobis foi um os heróis do Internacional na conquista do torneio, mas o assédio de clubes espanhóis fez o Colorado não suportar as ofertas e acabar vendendo o atacante também para o Real Betis, clube em que Tardelli já havia se transferido no ano anterior.

Quatro anos após o título de 2006, sob o embalo de Rafael Sobis, o Internacional também contou com o atacante para voltar a conquistar a Libertadores em 2010. No entanto, o jogador teve a ajuda do jovem Taison, revelação do Colorado que se destacou e ajudou o clube e garantir a taça novamente. Cerca de um mês após ganhar o torneio, o novo talento também sofreu com as investidas internacionais e acabou vendido ao Metalist, da Ucrânia, por uma quantia equivalente a R$ 13,4 milhões.

Em 2011 a história teve um enredo diferente, mas final foi o mesmo. Uma das peças mais importantes do elenco do Santos na conquista da Libertadores, Zé Eduardo também seguiu o ritual e deixou o clube após a conquista da taça. No entanto, a negociação do atleta com o Genoa, da Itália, já havia sido concretizada antes mesmo do fim da competição.

Já 2012 foi o ano do Corinthians. O time do Parque São Jorge contou com um grande misto de jovens e veteranos para conseguir a tão esperada taça da Libertadores e após a conquista a baixa não foi com suas promessas e sim com duas de suas mais consistentes realidades. Titulares absolutos na equipe de Tite, o zagueiro Leandro Castán e o meia Alex não permaneceram no clube para a disputa do Mundial e foram negociados com a Roma, da Itália, e o Al-Gharafa, da Arábia, respectivamente, também pela aproximada quantia de R$ 13 milhões.

Craque Bernard pode dar adeus ao Atlético-MGDivulgação

NEGOCIAÇÃO ATUAL PODE SER RECORDE

Agora, a possível transferência de Bernard para o Arsenal pode seguir a risca mas quebrar os recordes entre as semelhantes transferências. Na última semana, o jornal inglês Daily Mail chegou a afirmar que a venda do craque para os Gunners pode render uma quantia de até R$ 72 milhões para o Galo, fato que pode ser crucial para que a negociação seja concretizada definitivamente.

A situação de Bernard deve ser definida e ter um ponto final nos próximos dias, mas após a conquista da Copa das Confederações com a seleção brasileira, o craque também conseguiu alcançar o maior sonho junto ao Atlético-MG, conseguir conquistar um "título de expressão" defendendo o clube mineiro.

"Eu já deixei bem claro que queria sair daqui com um título de expressão, então meu papel eu cumpri, o que eu prometi eu cumpri. Agora eu deixo nas mãos de Deus e da presidência", afirmou o meia durante a festa do inédito título do Galo na Copa Libertadores da América.

Você pode gostar