Por pedro.logato

Rio - Vitor Belfort bateu o pé, não aceitou goela abaixo o americano Tim Kennedy e afirmou nesta quarta, com todas as palavras, que só lutará na divisão dos médios do UFC se for pelo cinturão. Pacientemente, o Fenômeno, então, aguarda o desenrolar da revanche entre Anderson Silva e Chris Weidman, marcada para dezembro, em Las Vegas, mas já pensa em adversários que podem agregar-lhe algo, num espetáculo para estádio lotado. Chael Sonnen e Dan Henderson pintam como planos alternativos, num combate com peso casado ou entre os meio-pesados.

Belfort quer cinturão dos médiosWander Roberto / inovafoto / Divulgação

“Na categoria eu só vou lutar se for contra o campeão, já está decidido. Mas busco uma luta que faça sentido, seja fora ou dentro da categoria. Algo que os fãs curtam e que tenha apelo forte. Contra o Sonnen ou Henderson seria uma grande luta. Dá pra lotar um Maracanã”, disse Belfort, fornecendo mais detalhes sobre o impasse na divisão.

“O combate seria fora da categoria mesmo, até porque minha luta nos médios está travada. Vou pegar o vencedor de Anderson x Weidman. Só contra eles mesmo entre os médios. Graças a Deus, hoje não luto pelo dinheiro, ele é consequência. Amo fazer o que faço e quero combates que me dão motivação”, decretou, confiante.

Assim como o Ultimate está interessado em tornar seu negócio lucrativo, o brasileiro também quer valorização para continuar “se divertindo” no octógono. Vitor Belfort, porém, não vê sentido em continuar encarando rivais que estão atrás dele no ranking da organização. O ex-campeão aparece atrás apenas de Weidman e Anderson.

“Cada um tem uma visão. Somos uma empresa. Da mesma maneira que é um negócio para o UFC, é um negócio para o Vitor Belfort. Não preciso falar do meu valor, todos sabem da estima que tenho pela organização, mas todo negócio passa pelo momento de achar o que se encaixa. E o encaixe sou eu atuando pelo cinturão”, completou.

DOMINICK ELOGIA BARÃO E SE DIZ OTIMISTA COM RETORNO

Em passagem pelo Brasil para participar de eventos do UFC Rio 4, sábado, o campeão de fato dos galos, Dominick Cruz, deu lições de wrestling para a imprensa especializada, ontem, numa academia da Barra da Tijuca. Após o encontro, o americano falou sobre o longo período de inatividade — não luta desde outubro de 2011 — e elogiou o detentor do título interino até 61,2 kg, Renan Barão.

“Sofro muita pressão tempo todo para voltar a lutar e me cobro muito para estar apto a fazer o que mais gosto mas dou um passo de cada vez. Devido ao longo tempo parado, sei que estou perdendo espaço para Renan Barão, que é um campeão. Mas eu vou voltar”, disse Dominick, que ainda se recupera de uma cirurgia no joelho esquerdo.

Você pode gostar