Por pedro.logato

Rio - Com público apenas razoável, o card preliminar do UFC Rio 4 começou com um nocaute técnico relâmpago do ex-TUF Brasil 2 Viscardi Andrade diante de Bristol Marunde, a 1min36s. Mas foi a finalização de Serginho Moraes sobre Neil Magny, aos 3min13s, que levantou a galera presente na HSBC Arena, neste sábado. A primeira parte do show foi só um aperitivo para os combates principais, que tem José Aldo x Chan Sung Jung e Lyoto Machida x Phil Davis.

Serginho vibra com vitória sobre americano Meil MagnyAndré Mourão / Agência O Dia

Primeiro a sofrer derrota para gringo na parte preliminar, Iliarde Santos não foi páreo para a melhor forma física e jogo de pernas de Ian McCall, levando a pior por decisão unânime dos jurados (30 a 27, 30 a 27 e 29 a 28). Ednaldo Lula e Francimar Bodão fizeram luta morna, sob vaias da galera, e que terminou com triunfo do segundo também por decisão unânime. Por falar em luta sonolenta, os penas Rani Yahya e Josh Clopton passaram praticamente três rounds embolados no chão ou encostados na grade. Mas foi o brasileiro que vibrou no fim, por decisão unânime.

Na primeira luta feminina do UFC no Brasil, Amanda Nunes não tomou conhecimento da alemã Sheila Gaff e passou o carro com um nocaute técnico sensacional, aos 2min8s. Na sequência, porém, a alegria de Amanda contrastou com a decepção de Vinny Magalhães. Com apenas 14s, Anthony Perosh acertou um cruzado no queixo do brasileiro, que foi ao chão já apagado.

Brasileira Amanda Nunes%2C de preto%2C derrotou a alemã Sheila GaffAndré Mourão / Agência O Dia

Leia um resumo das lutas

Viscardi Andrade x Bristol Marunde (peso meio-médio)

O brasileiro começou conectando bons jabs, alternando com chutes baixos, mas é um direto de direita que leva Bristol Marunde ao chão. O americano conseguiu se levantar, mas Viscardi acertou um cruzado que derruba outra vez o adversário. O árbitro Mário Yamasaki interrompeu o combate, a 1min36s do primeiro round, sinalizando a vitória para o brasileiro por nocaute técnico.

"Estou muito feliz, eu vim aqui pra isso. Estou me preparando há muitos anos e sabia que essa seria minha oportunidade. Não quero ser um lutador de card preliminar, quero ir para o card principal e sabia que para isso tinha que dar show. Espero ter conseguido", afirmou Viscardi, ex-participante da segunda edição do TUF Brasil, após a luta.

Ednaldo Lula x Francimar Bodão (peso meio-pesado)

Os lutadores começaram se estudando e até fugindo do combate no início do primeiro round. As vaias da torcida foram inevitáveis. Companheiro de treino de Junior Cigano, Ednaldo utilizava seu boxe para marcar a distância, enquanto Bodão preferia chutar na altura das costelas do adversário, tentando minar sua resistência.

O segundo assalto foi mais disputado, com Ednaldo Lula tendo leve vantagem no início, mas sendo dominado na sequência. O baiano até aplicou um knockdown no atleta da Nova União, mas não conseguiu finalizar a luta. No último round, os lutadores passaram boa parte do tempo agarrados à grade, com Bodão conseguindo uma queda, na metade do período, fundamental para convencer os jurados e faturar o duelo por decisão unânime dos jurados (30 a 27, 30 a 27 e 29 a 28). Lula perde a segunda consecutiva e corre risco de demissão.

Rani Yahya x Josh Clopton (peso pena)

Faixa-preta de jiu-jítsu, Rani Yahya conseguiu a queda sobre Clopton logo no início e por muito pouco não encaixou uma chave de joelho, bem defendida por Josh. Ainda embolados no chão, o brasileiro grudou no calcanhar do oponente, que escapou com muito custo. Nos minutos finais, Rani passou a guarda, conseguiu a montada e terminou o round por cima.

Mal soou o gongo para o segundo assalto, Rani catou novamente a perna do adversário, colocou-o de costas no chão e conseguiu novamente a montada. Mas Clopton soube defender muito bem e não deu espaço para a finalização. O terceiro round foi semelhante aos dois outros e arrancou vaias da torcida. A diferença foi que, desta vez, foi Clopton quem conseguiu ficar por cima, mas não por muito tempo. Rani inverteu a posição e ficaria pesando nos 100 quilos até o fim do combate. Por decisão unânime, Roni Yahya venceu Josh Clopton, por 29 a 28, 29 a 28 e 29 a 28.

Ian McCall x Iliarde Santos (peso mosca)

Ao som de 'Fear of the Dark', da banda Iron Maiden, Iliarde Santos entrou no octógono tentando encontrar a luz de sua primeira vitória no Ultimate. Porém, o terceiro colocado no ranking da divisão dos moscas não facilitaria as coisas. O americano utilizou os chutes baixos para abrir espaço na luta, mas Iliarde estava muito bem nos contra-ataques, usando jabs e cruzados. Até que o americano conseguiu encaixar uma queda e prensou o brasileiro contra a grade, golpeando-o com as duas mãos. Iliarde conseguiu se levantar a partir do terceiro minuto e equilibrou o combate perto do fim.

McCall continuou pontuando com seus chutes baixos, na região da coxa de Iliarde. O brasileiro, porém, respondeu com uma joelhada que abriu um corte abaixo do olho esquerdo do adversário. Empurrado pela torcida, Iliarde ainda conectou dois diretos de encontro antes de soar o gongo. O terceiro começou com troca franca de golpes e Iliarde não conseguindo acompanhar a velocidade do ex-melhor do mundo. Resultado: vitória de McCall por decisão unânime (30 a 27, 30 a 27 e 29 a 28).

Serginho Moraes x Neil Magny (peso meio-médio)

Serginho Moraes conseguiu um belo triângulo em Neil MagnyAndré Mourão / Agência O Dia

Ao som de MV Bill, Serginho Moraes levantou o publico presente na HSBC Arena. O tetracampeão mundial de jiu-jítsu passaria o carro com facilidade, deixando o americano Neil Magny desolado. Serginho tomou a iniciativa do combate desde o primeiro minuto e levou Magny ao chão, mostrando que sua técnica de quedas estava em dia. Em seu habitat natural, o faixa-preta usou seu jogo de pernas para encaixar um belíssimo triângulo, obrigando o adversário a bater, aos 3min13s do primeiro round. Com o resultado, Serginho ampliou para oito o número de vitórias em seu cartel, com apenas duas derrotas - a exemplo do americano.

"Tenho melhorado no que julgo ser mais fraco e o que importa é que sou um atleta novo de MMA e estou aqui para aprender cada vez mais. Essa é uma posição que faço todo dia, nos treinos, e quem quiser uma aula particular, é só me procurar", disse Serginho, arrancando risadas.

Amanda Nunes x Sheila Gaff (peso galo)

Na primeira luta feminina da história do UFC no Brasil, Amanda Nunes fez o dever de casa e venceu por nocaute técnico, aos 2min8s. Amanda partiu para a troca franca no início, sofreu uma queda e escapou por pouco de levar um mata-leão da alemã. Ela, no entanto, encaixou uma queda na sequência e estabilizou o ground and pound. Suas cotoveladas foram devastadoras e a levaram à vitória.

"Estou na minha casa e quem é ele pra acabar com minha festa na minha casa. Moro em Miami e treino lá, mas defendo minha bandeira e meu país aonde for", afirmou a brasileira, ainda em êxtase.

Vinny Magalhães x Anthony Perosh (peso meio-pesado)

Vinny Magalhães não levou sorte contra o veterano Anthony PeroshAndré Mourão / Agência O Dia

No confronto em que os dois lutadores precisavam da vitória para se recuperar no UFC, Vinny Magalhães não levou sorte contra o veterano Anthony Perosh, de 40 anos. De forma relâmpago, deu Estados Unidos na HSBC Arena. O australiano nocauteou o brasileiro aos 14s, com um cruzado de direita que levou Vinny à lona.

Você pode gostar