Por pedro.logato

Minas Gerais - Como bom mineiro, Glover Teixeira, natural de Sobrália, sempre comeu pelas beiradas. Sob desconfiança, estreou no Ultimate em maio de 2012, aos 33 anos. Mas o ilustre desconhecido provou não ser só mais um. O sonho apenas começava.

Glover vai lutar em casa pelo UFCDivulgação

Após quatro lutas, o brasileiro ganhou a chance de desafiar o campeão dos meio-pesados, desde que vença Ryan Bader no UFC do dia 4 de setembro, em Belo Horizonte, diante de sua torcida. Pressão? Ansiedade? Responsabilidade? Nada disso. Ele quer um nocaute rápido sobre o americano para poder desfrutar da cachacinha mineira e daquele leitão no capricho.

“Sempre vou em busca do nocaute. Após uma vitória, com certeza eu vou para Sobrália encontrar os amigos e tomar umas cachaças. Isso aí é fato. Tenho mais é que comemorar”, disse Glover, com saudade de casa. “Ainda tem um leitão assado que é um espetáculo. Sobrália é o melhor lugar do mundo”, acrescentou.

Se cumprir as expectativas e derrotar Bader, uma carreata está programada pelas ruas de Sobrália. A cidade, de 7 mil habitantes, não vai dormir, como garante o lutador.

“Na ultima vez, depois do UFC Rio 3, o sargento parou a carreata porque estava acordando o pessoal, mas dessa vez não vai ter desculpa. Minha luta vai ser cedo e lá pelas 3h eu vou estar na minha cidade comemorando”, afirmou o mineiro, animado e contando com um torcida organizada.

“Vai uma galera em peso de Governador Valadares, outra de Sobrália e será a primeira vez que minha família vai em peso ver uma luta. A cada combate realizo um sonho no UFC”, comemorou.

Por falar em sonho, lutar em casa é algo que Glover queria muito, mas ele jamais pediria isso ao Ultimate. “Foi um presente. Comigo não tem dia, local e nem horário. Quero é lutar”, completou.

Jon Jones é o preferido

O title shot (luta que credencia à disputa de título) foi dado a Glover Teixeira após o UFC Rio 4, no dia 3, e surpreendeu muita gente envolvida com o MMA. O lutador, no entanto, sabia que estava a um passo da disputa, mas não quer pular etapas.

O mineiro precisa primeiro vencer Ryan Bader para só então começar a pensar no cinturão dos meio-pesados. Jon Jones é o seu alvo, em que pese o fato de o campeão ter uma luta complicada contra o sueco Alexander Gustafsson, no dia 21 de setembro.

“Jones é um dos melhores da organização, jovem, que perdeu uma luta por desclassificação. É o homem a ser batido e quem eu quero enfrentar”, frisou Glover.

Você pode gostar