Por fabio.klotz

Rio - O futebol brasileiro está de luto após viver um fim de semana de muita tristeza com a morte de dois ex-campeões mundiais: o goleiro Gilmar dos Santos Neves e o ex-lateral Nilton de Sordi. Os dois fizeram parte da seleção brasileira que ganhou a Copa de 1958, na Suécia - Gilmar ainda ergueu a taça no Mundial de 1962, no Chile.

Morre Gilmar%2C goleiro das campanhas de 1958 e 62Reprodução Internet

Gilmar faleceu neste domingo, aos 83 anos, após sofrer um enfarte na segunda-feira. Ele se recuperava de um AVC (acidente vascular cerebral) sofrido em 2000 e estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. De Sordi morreu sábado, na cidade paranaense de Bandeirantes, aos 82 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos. Ele sofria de Mal de Parkinson e desde o início do mês estava internado por causa de uma pneumonia.

Considerado o maior goleiro do futebol brasileiro, Gilmar iniciou a carreira no Jabaquara, de Santos, mas fez história no Corinthians, pelo qual, entre 1951 e 1961, conquistou três vezes o Paulista e duas vezes o Rio-São Paulo.

Em 1962, no Santos, ao lado de Pelé & Cia., sagrou-se bicampeão da Libertadores e do Mundial Interclubes (1962 e 1963). Ainda venceu: Paulista (1962, 1964, 1965, 1967 e 1968), Roberto Gomes Pedrosa (1968), Taça Brasil (1961, 1962, 1963, 1964 e 1965), Rio-São Paulo (1963, 1964 e 1966) e Recopa (1968).

De Sordi iniciou a carreira no XV de Piracicaba e foi contratado pelo São Paulo em 1952. Foram 543 partidas pelo Tricolor, pelo qual foi campeão paulista em 1953 e 1957 — foi convocado pela primeira vez para a Seleção em 54 e titular de todos os jogos (25) até a final da Copa de 1958, quando deu lugar a Djalma Santos.

Você pode gostar