Por ulisses.valentim

Rio - Se o Flamengo se mostrou insatisfeito em relação à atual gestão do Maracanã, o Fluminense tem uma posição completamente diferente, o Presidente tricolor, Peter Siemsen declarou que está satisfeito com acordo.

"O Fluminense gosta muito do resultado com o consorcio e acredita que esse é o modelo ideal que o clube deseja. Em apenas quatro jogos no estádio nesse ano, nós acançamos 50% do faturamento total de 2012 com renda de jogos", declarou Peter.

O presidente tricolor também afirmou que não foi uma negociação fácil com o Consórcio Maracanã, mas que os resultados estão sendo satisfatórios para o clube das Laranjeiras.

"Foi dura a negociação mas a concessionária tem sido transparente e tem trabalhado de forma conjunta com o clube, o Fluminense não tem interesse de gerenciar empresários. O acordo reduziu bastante os gastos e estamos satisfeitos, dá para melhorar ainda mais e acreditamos na parceria", completou o dirigente.

Reunião durou cerca de uma horaAndré Mourão / Agência O Dia

Peter Siemsen aponta problemas para ser solucionados no Maracanã

Na reunião com, Sergio Cabral ele apontou dois pontos como principais problemas a entrada de sócios torcedores e o estacionamento do Maracanã.

"O primeiro, segundo o dirigente, já está sendo solucionado. Na partida contra o Santos foi feito o primeiro teste, com a entrada dos torcedores utilizando o cartão de sócio do clube. O segundo ainda não está definido, o presidente pediu uma solução rápida para este problema, pois segundo Peter, muitos torcedores do Fluminense estão tendo que pegar táxi para ir os jogos do clube", disse Peter.

Sobre a proposta de gestão conjunta do Maracanã dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, o dirigente foi enfático e disse que da parte do tricolor das Laranjeiras não há possibilidade para isso.

"Gostamos do modelo atual de gestão privada, e acreditamos nele. Uma coisa é trabalhar com sonho e utopia, outra com realidade. É legal defender um sonho, mas temos que ser realistas, não vejo possibilidade proxima. Cada clube tem seu interesse, seu perfil de torcida, se acontecesse seria maravilhoso, mas não acredito, há coisas mais importante para os clubes unirem, há coisas mais importantes no futebol para se pensar",  finalizou o dirigente.

Você pode gostar