Por ulisses.valentim

São Paulo - Giba está de volta às quadras brasileiras. Mas essa cena não será vista por muito tempo. O ponteiro campeão olímpico e mundial com a seleção brasileira vai defender o Funvic/Taubaté na temporada 2013/2014 da Superliga, mas já faz planos para a aposentadoria.

O contrato com o time do interior paulista é no formato “um mais um”, ou seja, um ano e pode ser renovado por mais um, e o atleta pensa em encerrar a carreira por lá. Perguntado na festa de lançamento do campeonato nacional se deve continuar na quadra por aproximadamente dois anos, que seria o total do novo vínculo, ele foi enfático. “Mais ou menos, não. Só mais dois anos ou quem sabe um. Quem não viu, é bom correr”, avisa Giba.

Giba volta às quadras brasileiras Carlos Moraes / Agência O Dia

Ele chega ao Taubaté como o experiente do elenco, mas aos 36 não se vê apenas como um mentor da equipe. “Eu me vejo muito mais em quadra do que no lado psicológico. Vou ajudar com a experiência, mas eu aceitei porque ainda tenho condições físicas. Eu tive o problema na tíbia e nada mais. Eu aceitei porque eu quero jogar. Enquanto tiver essa ansiedade, esse frio na barriga e esse tesão, eu vou continuar buscando resultados ali dentro de quadra”, afirma o ponteiro.

Agora, Giba se prepara para um trabalho parecido com o que foi feito após a cirurgia para cuidar de uma fratura por estresse na tíbia esquerda, no ano passado. Mais uma vez, ele precisa recuperar peso e massa muscular para voltar a jogar.

“Depois da cirurgia, acabei chegando a 84 kilos. Ganhei 13 kilos em três meses para jogar as Olimpíadas. Agora o tempo é um pouco menor, mas com certeza vai dar tudo certo, com nutricionista, fisiologista”, avalia o jogador. Ele precisa ficar na casa dos 80 kg. Já recuperou três nos treinos em Taubaté. “Provavelmente não jogue na estreia da Superliga (dia 14 de setembro, em casa, contra o Sesi). Mas estou fazendo treino com bola e se continuar nessa de ganhar três quilos a cada semana, volto o mais rápido possível”, completa.

Giba está de volta às quadras brasileiras. Mas essa cena não será vista por muito tempo. O ponteiro campeão olímpico e mundial com a seleção brasileira vai defender o Funvic/Taubaté na temporada 2013/2014 da Superliga, mas já faz planos para a aposentadoria.

Giba está sem medalhas olímpicasAndré Mourão / Agência O Dia

O contrato com o time do interior paulista é no formato “um mais um”, ou seja, um ano e pode ser renovado por mais um, e o atleta pensa em encerrar a carreira por lá. Perguntado na festa de lançamento do campeonato nacional se deve continuar na quadra por aproximadamente dois anos, que seria o total do novo vínculo, ele foi enfático. “Mais ou menos, não. Só mais dois anos ou quem sabe um. Quem não viu, é bom correr”, avisa Giba.

Ele chega ao Taubaté como o experiente do elenco, mas aos 36 não se vê apenas como um mentor da equipe. “Eu me vejo muito mais em quadra do que no lado psicológico. Vou ajudar com a experiência, mas eu aceitei porque ainda tenho condições físicas. Eu tive o problema na tíbia e nada mais. Eu aceitei porque eu quero jogar. Enquanto tiver essa ansiedade, esse frio na barriga e esse tesão, eu vou continuar buscando resultados ali dentro de quadra”, afirma o ponteiro.

Agora, Giba se prepara para um trabalho parecido com o que foi feito após a cirurgia para cuidar de uma fratura por estresse na tíbia esquerda, no ano passado. Mais uma vez, ele precisa recuperar peso e massa muscular para voltar a jogar.

“Depois da cirurgia, acabei chegando a 84 kilos. Ganhei 13 kilos em três meses para jogar as Olimpíadas. Agora o tempo é um pouco menor, mas com certeza vai dar tudo certo, com nutricionista, fisiologista”, avalia o jogador. Ele precisa ficar na casa dos 80 kg. Já recuperou três nos treinos em Taubaté. “Provavelmente não jogue na estreia da Superliga (dia 14 de setembro, em casa, contra o Sesi). Mas estou fazendo treino com bola e se continuar nessa de ganhar três quilos a cada semana, volto o mais rápido possível”, completa.

Você pode gostar