Por fabio.klotz

Minas Gerais - Após evitar o gol da classificação do Tupi na Série D, o massagista do Aparecidense não evitou comentar a situação que repercutiu durante o fim de semana. Esquerdinha revelou toda a situação que ocorreu após o lance polêmico e admitiu que teve que se esconder dentro de um baú para se esconder dos torcedores e jogadores adversários. Para o massagista, a sensação foi de nervosismo e medo de ser encontrado pelos revoltados rivais.

Massagista impediu o gol do Tupi-MGReprodução Internet

"Foi complicado sair do estádio. Quando tirei a bola do gol tive que sair correndo par ao vestiário e pedir para o roupeiro me trancar dentro de um baú para ninguém me encontrar. Tive medo de acabarem me pegando, eu não ia conseguir segurar todos eles", disse Esquerdinha, que aproveitou para se desculpar com os adversários.

"Peço desculpas a todo o elenco, diretoria e comissão técnica do Tupi. Foi algo de momento, não pensei na hora. No momento eu só pensei no meu time, que não podíamos ficar fora da competição. Agora tenho que esperar as consequências, mas não foi nada proposital. Com fé em deus sei que nada vai acontecer, pois vivo do futebol e não posso ficar longe disso agora", acrescentou.

Questionado também sobre os motivos que o fizeram decidir entrar em campo e evitar o gol do Tupi, Esquerdinha revelou o nervosismo com a possibilidade de eliminação da equipe do Aparecidense. Segundo o massagista, o receio de acabar ficando desempregado após a eliminação da equipe também falou mais alto.

"Se a nossa equipe fosse eliminada agora só voltaríamos a treinar em dezembro. Tenho família, filhos.. Não podia ficar desempregado agora. Não foi nada premeditado, mas na hora tive que evitar isso. Agora os jogadores estão me chamando de 12º atleta, estão dizendo que eu praticamente garanti a nossa classificação", concluiu.

Você pode gostar