Bota x Fla: A paz como vitória

Pressionados, clubes se enfrentam no Maraca sonhando com dias melhores

Por O Dia

Rio - Na última vez que entraram em campo pela Copa do Brasil, Botafogo e Flamengo geraram enorme expectativa quanto às suas sequências na temporada, mas, em ambos os casos, ela não foi atendida. Nesta quarta, às 21h50, no Maracanã, os rivais se enfrentam pela primeira partida das quartas de final da competição com a esperança de que a equipe que avançar irá retomar o caminho projetado anteriormente.

Quando eliminou o Atlético-MG com um empate em 2 a 2 no Independência, o Alvinegro estava a apenas dois pontos do líder Cruzeiro no Brasileirão. Quase um mês depois, esta diferença já subiu para oito pontos e esfriou a empolgação da torcida.

Leo Moura e Seedorf se enfrentam nesta quartaArte O Dia

Os comandados de Oswaldo de Oliveira vêm de duas derrotas consecutivas no campeonato por pontos corridos, porém, nem por isso, o treinador acredita que a pressão será maior logo mais.

“Não podemos nos sentir mais ou menos pressionados porque perdemos dois jogos. Claro que ninguém fica satisfeito com derrota, mas é uma situação que todos aqui, inclusive os jogadores mais jovens, já aprenderam a lidar. Não tem novidade nenhuma. A pressão é mesma que tem sempre. É um jogo importantíssimo, contra um grande adversário, numa fase bem adiantada da Copa do Brasil”, ressaltou o técnico do Botafogo.

Quando acabou o segundo jogo entre Flamengo e Cruzeiro, pelas oitavas de final, parecia que o Rubro-Negro havia subido de patamar. O time vinha de uma boa sequência, esboçava uma recuperação no Brasileiro e, de quebra, retomava a sintonia com o Maracanã e sua torcida, que lotou o estádio. Mas daquele gol de Elias aos 43 do segundo tempo para cá, um furacão de problemas devastou o ambiente.

No jogo seguinte, veio o choque de realidade: derrota de 4 a 0 para o Corinthians. Depois o time venceu Vitória e Santos, empatou com a Ponte Preta e perdeu para Cruzeiro e Atlético-PR. Esta última derrota, por 4 a 2 depois de o Fla abrir 2 a 0, motivou o pedido de demissão surpreendente do técnico Mano Menezes.

“A gente não imaginava isso. Fizemos uma projeção boa depois daquele jogo (contra o Cruzeiro). Vencemos o melhor time do Brasileiro. A gente não queria estar passando por essa fase, mas faz parte do futebol. Temos que continuar a trabalhar que uma hora a fase passa”, disse Luiz Antonio.

Últimas de Esporte