Por fabio.klotz

Rio - Duda vai se sentir em casa na Gávea, mas agora vai ter de enfrentar o Flamengo. Após seis temporadas seguidas no Rubro-Negro, o ala-armador foi para o Macaé. Neste sábado, às 17h, ele tem pela frente o atual octacampeão carioca. Além do clube de coração, Duda ainda precisa encarar a família: o ala Marcelinho Machado e Ricardo, fisioterapeuta do Fla.

Duda e Marcelinho fazem homenagem a Oscar após o título do NBBDivulgação

"Desde que decidi vir para o Macaé tenho pensado em como vai ser o jogo contra o Flamengo. E coincidiu de nossa estreia no Carioca ser logo contra o Flamengo. Vai ser estranho jogar contra o Mengão, mas agora defendo Macaé e vou lutar para obter sucesso também", disse o ala-armador.

Duda tem a missão de liderar o Macaé no Carioca e no NBBDivulgação

Campeão do último NBB com o Flamengo, Duda conhece a maioria do elenco e vai servir de espião para o técnico Léo Costa.

"Já passei para ele os pontos fortes, sei que ele já sabe, mas alguém que estava dentro, que tenha vivenciado, sempre ajuda mais. A equipe deles mudou um pouco, principalmente com a saída do Caio Torres, mudou a característica. É uma equipe completa, tanto fora como dentro do garrafão. Sabemos que temos de jogar o nosso melhor para vencer", declara.

A família Machado se prepara para o duelo. Marcelinho brinca com irmão e enaltece o carinho dele pelo Flamengo.

"A gente brinca. Eu disse que ele não vai ter moleza por ter jogado aqui por muito tempo. Eu sei do sentimento dele pelo Flamengo. É torcedor do Flamengo de ir ao Maracanã para torcer. Sei que ele vai estranhar muito jogar contra o Flamengo, aqui na Gávea, com a torcida, mas ao mesmo tempo ele é um excelente profissional, vai buscar o melhor para ele, que hoje é a vitória do Macaé, e vai dificultar muito o nosso trabalho. Acho que o Flamengo tem uma equipe muito qualificada, montada para conquistar títulos. Espero que neste início de campeonato possamos passar por estas dificuldades de lesão e falta de ritmo e começar com vitórias", afirmou.

Duda avisa: se puder, vai provocar e brincar com os irmãos.

"Sempre acontece uma aposta, de pagar o almoço, da forma mais sadia possível. Brincamos, sim, mas tem uns dias que não falo com eles, até para concentrar mais. Se der, em algum momento do jogo vou falar com eles e provocar, faz parte", conta e se diverte Duda.

Você pode gostar