Por pedro.logato


Rio - Trocadilhos à parte, Rafael Feijão está encorpado e garante ter se fortalecido para, enfim, vencer a primeira batalha no UFC. Ex-campeão do extinto Strikeforce, o lutador meio-pesado amargou uma reviravolta diante de Thiago Silva, em junho, e foi nocauteado na sua estreia no evento, em Fortaleza. Desta vez, contra Igor Pokrajac, dia 9, em Goiânia, tudo será diferente na opinião dele.

Feijão vai lutar em GoiásDivulgação

Do outro lado, o croata não goza de prestígio com o evento e vem de duas derrotas e um ‘no contest’ (luta sem resultado) nos últimos três combates. Cenário perfeito para provocar a demissão do adversário e mostrar que Feijão é quem manda em território brasileiro.

“O Igor Pokrajac é um striker, trocador, com estilo parecido com o meu. É agressivo, mas fraco no chão e em defesa de quedas. Não vou com obrigação de levar ele pra baixo, vou trocar e explorar as deficiências dele. Confio muito na minha luta em pé”, analisou Feijão, 32 anos, refeito do susto da derrota na última luta. Na ocasião, Rafael castigou Thiago Silva no início do primeiro round, mas com um único golpe desferido pelo oponente acabou indo à lona. Erros que, garante, não serão cometidos em Goiânia.

“Achei que eu estava confiante demais. Tomei um único golpe em toda a minha luta, que me debilitou. Causou uma hemorragia no meu fígado e eu praticamente apaguei em pé. Me expus na parte debaixo e perdi, mas os méritos são do Thiago. Foi bom porque voltei para casa, revi meus conceitos e voltei mais forte”, decretou o brasileiro, confiante em show no UFC Fight Night 32, na Arena Goiânia. Vitor Belfort e Dan Henderson disputam a luta principal do evento.

“Sou um atleta extremamente agressivo. Tenho 15 lutas, com quatro derrotas e todas as minhas vitórias são por nocaute ou finalização. Não venço por pontos. Estou em um ritmo muito forte, em forma e trabalhando em cima dos erros que cometi na última luta. Chamei meus técnicos e corrigimos tudo”, finalizou Feijão, fortalecido.

Você pode gostar