Casal do vôlei: Que venha Arthur!

Em recuperação de uma cirurgia, Murilo sente o gostinho de voltar à Seleção e vive, ao lado de Jaqueline, a ansiedade pela chegada do primeiro filho

Por O Dia

Rio - As avós já estão escaladas para ajudar nos cuidados com Arthur nos seus primeiros meses e o quartinho do herdeiro está quase pronto. Com o nascimento do filho previsto para dezembro, a ansiedade do casal do vôlei Murilo e Jaqueline é cada vez maior. A expectativa pela chegada do menino ainda coincide com a reta final de reabilitação da cirurgia no ombro direito do campeão mundial, que voltou à Seleção na semana passada como convidado.

“Ver o sucesso do Murilo é uma das coisas que mais me dão alegria. Foi um momento muito difícil na carreira dele, mas graças a Deus ele está se recuperando bem. A cada dia é uma nova conquista, os treinos estão mais intensos e em breve ele estará a todo o vapor nos jogos. Esse convite (para a Seleção) foi realmente a cereja do bolo e, de certa forma, um sinal de que, mesmo em recuperação, o Brasil confia no potencial e no talento dele”, festeja Jaqueline.

Murilo se prepara para a dupla jornada que irá enfrentar Alexandre Arruda / CBV

Enquanto a hora de voltar às quadras não chega, Murilo curte as últimas semanas da gravidez de Jaqueline, na expectativa de ver logo o rostinho do bebê. “Acho que nós dois vamos sofrer juntos. Os dois de primeira viagem. Por isso, as nossas mães vão dar um apoio pelo menos no começo. Acredito que ela vá sofrer mais ainda, mas vou tentar estar o máximo de tempo possível perto dela para ajudar em tudo o que der”, diz Murilo.

Tio de Eric e Enzo, filhos do seu irmão, Gustavo, o ponteiro só lamenta não ter tido tempo para ficar mais perto dos sobrinhos. “Desde a época do Banespa, depois que o Eric nasceu, nós nunca mais jogamos juntos. Em época de Seleção, é sempre muito corrido e as famílias não ficam conosco o tempo todo. Eles são dois meninos fantásticos, muito parecidos com a nossa família, com o lado Endres, e eu fico babando, mesmo que longe. Espero que o meu filho possa ser como eles e acompanhar o pai jogando”, planeja.

A ansiedade pelo nascimento de Arthur é grande. “Eu e a Jaque estamos nervosos”, admite o ponteiro, curtindo os últimos preparativos para a chegada do herdeiro. “O quartinho dele está na reta final, mais alguns detalhes para finalizar, pois estamos montando tudo com muito capricho para o nosso príncipe”, conta Jaqueline.

Em 2011, o casal esperava o primeiro filho, mas um aborto espontâneo interrompeu os planos. Agora, eles voltaram a sorrir. À espera do herdeiro, Jaqueline até fez um ensaio fotográfico ao lado do marido, no Estúdio Raiô “Ela teve aqueles enjoos normais até o terceiro mês, mas, depois disso, nenhum trabalho. Jaque malhou, fez hidroginástica e está bem”, diz Murilo.

O difícil foi escolher o nome do bebê. “Ela tinha duas ou três opções e eu não conseguia definir. Um dia, do nada, ela falou Arthur, que não era nenhuma das opções anteriores, e nós concordamos na mesma hora”, explica o paizão.

Retorno em ano de Mundial

Depois de ficar fora da Seleção no primeiro ano do ciclo olímpico, o casal do vôlei tem a volta prevista para 2014, ano de Mundiais.

“Vou ter que jogar bem a Superliga e merecer a convocação, mas acredito que, pelo histórico que tenho na Seleção, o Bernardo talvez me dê um voto de confiança mesmo que eu não esteja com 100% da minha forma. Ele sabe das condições e do potencial que tenho e talvez invista um pouco nisso. Mesmo assim, tenho que conquistar o meu espaço”, diz Murilo.

Jaqueline também é cautelosa quanto ao retorno: “Estou com saudades de jogar, mas isso ainda é algo que vou decidir depois do nascimento do Arthur. Estou focada na família.”

Paciência na reabilitação e na volta às quadras

Ainda não foi um chamado para uma competição, mas Murilo já sentiu, na semana passada, o gostinho de voltar à Seleção. O ponteiro foi convidado pelo técnico Bernardinho para participar dos treinos em Saquarema antes da viagem do time brasileiro para a Copa dos Campeões, no Japão.

“Durante o tempo em que fiquei fora, mantive contato com a maioria dos jogadores e com o Bernardo. Acompanhei os jogos da Liga Mundial e do Sul-Americano, e estou muito feliz mesmo por estar de volta. Agora espero nunca mais sair daqui (risos)”, avisa Murilo, bem-humorado.

A previsão é que o ponteiro, recuperando-se de cirurgia no ombro direito, volte a jogar pelo Sesi em dezembro. “Lógico que ainda tem alguma limitação no ombro por não estar 100% e isso vai demorar ainda algum tempo, para eu reconquistar a confiança de antes. Há vezes em que exagero um pouquinho e ainda sinto um certo incômodo. É normal da cirurgia. Não vai resolver tudo de uma hora para outra”, pondera.

Últimas de Esporte