Por rafael.arantes

Rio - Para Vasco e Fluminense, a segunda-feira teve mais cara ainda de segunda. Após o rebaixamento dos dois clubes, tricolores e vascaínos foram alvos de piadas de alvinegros e rubro-negros. No Largo da Carioca, vários torcedores sofreram com as provocações dos arquirrivais, entre eles o vascaíno Carlos Alberto Régis e o tricolor Marcelo Santoro. O vascaíno lamentou o segundo rebaixamento do seu time nos últimos cinco anos e foi taxativo ao apontar o culpado pela queda.

Torcedores não conseguem esquecer selvageria do último domingoJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

“A culpa é do Dinamite, que vendeu Dedé, Fellipe Bastos e Douglas e só trouxe perna de pau. Com um time fraco desse, só podia cair mesmo”. E foi além quando assunto era o retorno à Série A. “Tem que haver muitas mudanças. Se continuar com esse time que está aí, vai cair para a Terceira Divisão e nunca mais voltará”, completa.

Carlos Alberto quase chorou ao falar sobre a violência que marcou a queda do Vasco, e demonstrou vergonha e indignação. “Aquilo foi uma selvageria, não são torcedores, são bandidos com a camisa do Vasco. Lugar de bandido é na cadeia”, afirmou.

Já o tricolor Marcelo Santoro, dono de uma banca no Centro há 22 anos, em sociedade com seu pai, Otávio, de quem herdou a paixão tricolor, disse que está envergonhado com a situação do clube e aponta a diretoria e o patrocinador como responsáveis pelo vexame.

“A diretoria é frouxa e a patrocinadora manda e desmanda no clube. O presidente, que deveria se impor, não faz nada”, diz Santoro, que espera que o clube volte à Série A no ano que vem e não passe mais por essa situação. “A torcida tem que abraçar o time. O Fluminense é grande demais para passar por esse vexame”, disse.

Reportagem: Edsel Britto

Você pode gostar