Por rafael.arantes
Holanda - Uma grande caminhada vem desenhando a vida do brasileiro Alessandro Schoenmaker no mundo do futebol. Natural de Campinas, o preparador físico do Twente, da Holanda, já está há dez anos longe do Brasil e mesmo com as saudades de casa, o foco pela realização de seus sonhos profissionais fala mais alto, ainda mais na rica e liberal terra holandesa.
"É estar longe da família, mas em busca de um sonho. Consegui ser reconhecido aqui e minha formação é basicamente toda longe do Brasil. Aqui na Europa é tudo num outro nível e tenho o reconhecimento que não tive no meu país. Ganhei oportunidades nas principais ligas e mostrei meu trabalho. Isso me faz feliz", analisou.
Alessandro Schoenmaker está longe do Brasil há dez anosDivulgação

Anos de luta, a distância da família e a incansável busca por seus objetivos são algumas das coisas que fazem de Alessandro um constante batalhador. As passos trilhados deixam o brasileiro cada vez mais satisfeito.

"O que mais me motiva é ver o resultado do meu trabalho no dia a dia dentro de campo, é conseguir ter o reconhecimento dos próprios jogadores. É ótimo ver que o objetivo que tracei para a minha carreira está sendo alcançado", comentou.

Alessandro vive atualmente sua segunda passagem pelo Twente. Após uma era de quatro temporadas trabalhando no clube holandês, o preparador se afastou da equipe por três anos antes de retornar, mas é do primeiro período que ele guarda o momento mais especial.

"A temporada em que fui Campeão holandês (2009-2010) foi, sem dúvida, o momento mais marcante aqui na Europa. A Holanda se resumia em PSV e Ajax, mas conseguimos invadir o cenário e conquistar o título. Foi algo muito bom e sempre ficará marcado", relembrou.

Alessandro Schoenmaker é preparador físico do Twente%2C da HolandaDivulgação

Viver longe de casa é sempre um grande desafio e o desejo de voltar para o Brasil ainda vive em Alessandro. Mesmo obtendo sucesso na Europa, traçar uma carreira de sucesso em seu país é uma das metas do preparador.

Publicidade
“Se surgir uma boa oportunidade por que não? Trabalhar no meu país sempre foi o meu grande objetivo, mas ainda não consegui ser reconhecido por aí", finalizou.