No verão, a pesca é a nossa praia

Palavras de ordem para amantes da pesca em terra firme são: paciência e prudência

Por O Dia

Rio - Com o verão despontando, enfim, no Rio, de sol, céu azul, calor ( e que calor), águas mornas e praias superlotadas no mês de janeiro consagrado às férias, as palavras de ordem para os amantes da pesca em terra firme são: paciência e prudência. Com as temperaturas em elevação, o mar está para peixe, mesmo. Os mais encontrados nas praias esta época são os papa-terras, pampos, galhudos, riscadinhos, corvinotas e anchovetas marisqueiras. Mas com esse mar de banhistas nas areias, sobretudo na orla da Zona Sul do Rio, para evitar acidentes, o melhor é buscar locais mais afastados. Ou então pescar bem cedo, antes que eles cheguem, ou ao entardecer, quando as areias começam a esvaziar. Agora uma dica importante: em hipótese alguma descarte ou esqueça anzóis na areia.

Carlinhos Piraúna exibe o pampo de 4 kgarquivo pessoal

Na praia, as melhores iscas são as naturais. E a campeã é a que encontramos na própria areia molhada, como sarnambis, tatuís e minhocas. Outras iscas naturais muito usadas são o camarão morto, filés de sardinha (que está no defeso) e lula. Ambas também dão bom resultado. Na praia, para atingirmos boas distâncias nos arremessos, são necessárias varas compridas, acima de 3,30m, e linhas finas, entre 0,20mm e 0,25mm. Condições do clima são cruciais. Se fizer tempo bom, há grande chance de se fisgar o peixe. Se ruim, ventos fortes, chuvas e mar agitado, esqueça a pesca.

Condições do tempo

Ventos de nordeste (de fraco a moderado) mantêm o tempo bom no fim de semana no Rio. O mar fica calmo, com águas a 22 graus. De Lua Crescente, as marés têm pouca variação nesta sexta-feira, com a alta atingindo 0.8m, às 12h, e a baixa, 0.4m, às 18h.

Dicas de peixes

Mestre Canarinho (99953-8100)

As iscas são camarão e lula: Quebra Mar da Barra — marimbá, galhudo, riscadinho e corvina; Cagarras — olho-de-cão, pescadinha, espada e pargo; Gragoatá/Boa Viagem — corvina, papa-terra, mixole e cocoroca; Ilhas Pai e Mãe — corvina, pescadinha, espada e papa-terra.

Carlinhos Piraúna

Pracinha Niemeyer — pampo e marimbá; saída do canal do Leblon — pampo e galhudo; Arpoador — galhudo, pampo e corvinota (dia) e olho-de-cão e espada (noite); Praia do Diabo — pampo e galhudo; Praia de Copacabana (Postos 5 e 6) — corvinota e riscadinho; Leme — anchoveta (dia) e espada e olho-de-cão (noite); Praia Vermelha — espada e olho-de-cão (noite); Muro da Urca — carapicu (dia) e espada (noite).

Gilberto Ohoishi (22-99839-6442) para pesca embarcada: em Arraial do Cabo, na Praia Grande — tira-e-vira e pargo; na Ponta do Focinho — castanha; na Boca da Barra — pescadinha; em Cabo Frio, na Ilha dos Papagaios — olho-de-cão; na Ilha Comprida — pargo; na Ilha dos Capões— pescada.

Últimas de Esporte