Rally Cerapió entre tapas e beijos

Miguel Sono e Rosi Vasconcelos participam do rali de novo

Por O Dia

Ceará - A paixão pela aventura é um dos segredos da duradoura união de Miguel Sono e Rosi Vasconcelos. Casados há 20 anos, esses cariocas assumem os papéis de piloto e navegadora no Rally Cerapió, que este ano está em sua 27ª edição. Moradores de Copacabana, eles participam pela segunda vez do maior rali de regularidade das Américas.

Miguel Sono e Rosi Vasconcelos se encantaram pelo Rally CerapióDivulgação

No auge do verão no Rio, o casal não se arrepende de trocar os prazeres da praia por quatro dias de prova pelo sertão, serra e litoral de Ceará, Piauí e Maranhão.

“A gente veio ano passado passado para vivenciar essa experiência e não tinha certeza se voltaria em 2014. Mas o bichinho do Cerapió mordeu a gente. Participamos de competições no Rio e em Minas, mas aqui o clima, o piso são completamente diferentes”, disse o servidor público de 44 anos, que conta com o apoio irrestrito da mulher.

“Quando escutamos falar da competição sentimos saudade, vontade de voltar e participar. Adoramos. Fugimos do estresse. A adrenalina é diferente e, no fim das contas, até relaxa”, diz Rosi.

Briga dentro do carro

Apesar da sintonia, Miguel e Rosi, com muito bom humor, admitem que o carro 4x4 é palco de discussões. Felizmente, as divergências nas competições só fortaleceram a relação.

“A parceria facilita. Nós nos damos muito bem, mas temos quebras-pau. Sou eu que brigo mais com ele”, afirma Rosi, aos risos.

No primeiro e mais longo dia do Cerapió, com 392 km percorridos, o casal teve tempo para discutir a relação e definir a estratégia para melhorar a 14ª colocação na categoria graduado, obtida em 2013.

* O repórter viaja a convite da organização

Últimas de Esporte