Por pedro.logato

Rio - Faltando dez dias para a estreia na Série B do Carioca (contra o Tigres), o departamento de futebol do América foi sacudido por mais uma grave crise. Na noite de segunda-feira, o presidente Léo Almada optou pelo rompimento com a ODG Sports, empresa contratada no fim do ano passado para cogerenciar o departamento de futebol. O clube alega que a ODG desrespeitou uma cláusula ao não fazer o repasse de uma verba (de R$ 140 mil) para o pagamento de algumas despesas, incluindo a folha salarial do time.

Gilberto pode deixar o América antes do início da Série BFábio Klotz / Agência O Dia

“Em alguns trechos, o contrato não era benéfico ao América, e nós tentávamos negociar para torná-lo mais favorável. Mas, ao mesmo tempo, a empresa tinha outros interesses. Queria ampliar a duração para cinco anos e aumentar a participação na arrecadação. O América quer parceiros e precisa deles, mas não está entregue aos empresários que tanto enfraquecem os clubes”, disse Almada, em nota publicada no site oficial do clube.

Segundo o presidente, o elenco contratado para a disputa da Série B será mantido.

“Esses jogadores foram indicados pela ODG, mas são contratados do América. Eles têm vínculo com o clube e serão mantidos. Mas não vamos segurar nenhum jogador que não tenha interesse em ficar”, completou Almada.

A versão da ODG, no entanto, é bem diferente. Segundo o diretor-executivo Bruno Voloch, o veterano Gilberto e o paraguaio Baez, que estão fazendo a pré-temporada com o grupo em Queluz (SP), não ficarão no América.

“Eles estão voltando amanhã (quarta), não ficam no América. Foi um investimento da empresa, eles pertencem à empresa. Talvez até outros jogadores tomem o mesmo caminho”, avisou Voloch.

Você pode gostar