Por pedro.logato

Rio - Não precisava ser desse jeito. O Botafogo acabou se transformando — ele próprio — no seu maior adversário nessa estreia da Libertadores. Com o enfraquecimento do time e a inexperiência do treinador, a coisa se complicou pelo mau resultado em Quito, ainda mais por não ter feito gol.

A ideia de ficar poupando titulares no Carioca criou um clima ruim mas, apesar de todos os problemas, o Botafogo é favorito e, normalmente, se classificará de algum jeito. A sorte é que o adversário é bem fraco, mas, se fizer um gol, obrigará o campeão carioca a marcar três, o que pode complicar.

Ninguém pode esquecer que as perspectivas não são favoráveis a curto prazo: se o Botafogo passar, suas chances no grupo serão limitadas. Se cair, a crise será terrível e cabeças vão rolar.

Botafogo precisa de vitória para se classificar na LibertadoresErnesto Carriço / Agência O Dia

O técnico Eduardo Hungaro escalou o que tem de melhor e só deixou Bolatti de fora por lesão. Wallison começa de saída, tornando o time mais agressivo e com boa alternativa de velocidade. Mas muita coisa dependerá do que poderão render Jorge Wagner e Ferreyra. A torcida vai comparecer bem — talvez mais de 40 mil — fará sua festa e só se espera que tudo termine com a mesma alegria.

BOM MODELO

O Flamengo tem jogo tranquilo contra o Boavista e, com boa soma de pontos, dá-se ao luxo de escalar reservas mas com o titular Felipe, só para ensinar a Hungaro como se faz e como ele não fez com Jefferson. Já no Fla x Flu de sábado, o time principal estará de volta, pois o jogo tem história e é importante porque o grupo precisa rodar antes da estreia na Libertadores contra o León. O Fla fez tudo certo e prepara o terreno para uma temporada sem sobressaltos.

A GRANDE CHANCE

Não é a primeira vez que surge essa onda de Hernane na Seleção. Claro que há uma tendência, do torcedor e da mídia, de apressar ou exigir a convocação depois de um destaque excepcional. Talvez seja cedo para Hernane ou ele não seja jogador de Seleção, mas não há dúvida de que se os outros candidatos andam mal (Jô, Leandro Damião e Luís Fabiano — já se fala até em Willian), por que não dar chance a Hernane? É meritocracia. Se não der certo, paciência.

DEU CERTO

E não é que, por circunstâncias externas, o horário do Fla x Flu — sábado, às 19h30 — acabou sendo o mais indicado? Afinal, a torcida escapou do martírio de ir ao estádio domingo à noite, fugiu do calorão e poderá curtir um lazer à tarde e, depois do jogo, boa parte da noite, véspera de dia sem trabalho. O ideal seria domingo, às 17h ou 18h, mas, como a federação tem conluio com as TVs, nunca dá certo. Ainda bem que o Flu concordou com o pedido de antecipação do Fla.

DILEMAS

Felipão costuma acertar até quando seu alvo é um jogador em baixa. Basta lembrar que, com ele, Julio César voltou bem à Seleção, Maicon se superou, Hernanes foi ressuscitado e Robinho acabou lembrado quando era dado como morto para a Amarelinha. Agora, entrou em má fase, no Milan, pior até do que Kaká, mas dificilmente Felipão o esquecerá. Para o técnico, autoconfiante, vale o rendimento de cada um na Seleção.Ronaldinho Gaúcho sabe muito bem disso.

O BASQUETE NÃO PODE SE LAMENTAR DE NADA

O fato de cair em um ‘grupo da morte’ nem deveria ser comentado pelo basquete brasileiro. O convite para o Mundial foi um bônus e o resto será lucro. Classificam-se quatro em um grupo de seis e se Egito ou Irã entrar, não haveria mesmo o que os comandados de Rubén Magnano fazerem por lá. Se a Argentina assustar faz sentido — e nosso basquete terá de exorcizar seus fantasmas.

Você pode gostar