Blatter apoia Dilma e repudia ofensas racistas a Tinga em partida do Cruzeiro

Tinga foi hostilizado pelos torcedores de time peruano em jogo da Libertadores

Por O Dia

Suíça - As ofensas racistas sofridas por Tinga na partida entre Cruzeiro e Real Garcilaso, do Peru, chegaram a sede da Fifa em Zurique. O presidente da instiuição, Joseph Blatter, lamentou o ocorrido e apoiou a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, que já havia se manifestado com repúdio a situação.

Blatter se manifestou de forma contrária a atos racistasReuters

"Faço coro com Dilma ao condenar o episódio de racismo envolvendo Tinga, do Cruzeiro Esporte Clube. A Fifa é contra todo ato de discriminação", escreveu em português o mandatário, também em sua conta na rede social. Além disso, Blatter ainda citou a resolução aprovada pela entidade contra a discriminação no futebol.

Além de Blatter e Dilma, a CBF também se manifestou pedindo um mundo "sem racismo, preconceito e desrespeito", além de postar imagem com o escudo da entidade em preto e branco. Na partida desta quarta-feira, que marcou a estreia do Cruzeiro na Libertadores, cada vez que Tinga tocava na bola, parte da torcida do time peruano se agitava nas arquibancadas do estádio de Huancayo para ofender o atleta com cânticos racistas.

Últimas de Esporte