CBF faz homenagem ao volante Tinga após caso de racismo

Entidade mudou as cores do escudo para preto e branco e pediu o fim do preconceito

Por O Dia

Rio - O racismo sofrido por Tinga, na partida entre Cruzeiro e Real Garcilaso, continua repercutindo. No twitter, a Confederação Brasileira de Futebol modificou o seu escudo em homenagem ao jogador. Com as cores preto e branco e a frase "somos iguais", a entidade pediu o fim da discriminação.

"Por um mundo sem racismo, sem preconceito e sem desrespeito", postou.

CBF presta homenagem ao volante Tinga%2C vitima de racismo Reprodução Twitter

Mais cedo, a presidenta Dilma Rousseff se solidarizou com o episódio ocorrido com o volante da equipe mineira. No seu perfil no microblog, a chefe de estado lamentou o preconceito dos torcedores peruanos e deu apoio ao atleta.

Dilma manifesta apoio ao volante TingaReprodução Twitter

"Foi lamentável o episódio de racismo contra o jogador Tinga, do Cruzeiro, no jogo de ontem, no Peru. Ao sair do jogo, Tinga disse que trocarias seus títulos por um mundo com igualdade entre raças. Por isso, hoje o Brasil inteiro está #FehcadoComoTinga. Acertei com a ONU e a FIFA, que a nossa #CopaDasCopas também será a #CopaContraORacismo. Porque o esporte não deve ser jamais palco para o preconceito", escreveu.

A Conmebol prometeu analisar o caso. De acordo com o Regulamento Disciplinar da entidade, o Real Garcilaso pode até ser expulso da Libertadores da América.


Últimas de Esporte