Por bernardo.argento

Rio - É até possível que, quando a bola rolar, surjam problemas inesperados na Seleção e o que parece calmo se agite. Mas o normal será uma espécie de calmaria e, se dúvidas surgirem, serão contornáveis. Exemplos: no gol, Julio César é o titular de Felipão, mas, se o tempo e a inatividade o afetarem, Jefferson está em boas condições de ser excelente titular. Na lateral direita, caso se livre de lesão, Maicon vem como reserva natural e qualquer problema está aí mesmo Rafinha que brilha na Europa.

O quarto zagueiro de área pode ser Dedé, Henrique ou Miranda, mas o primeiro reserva é o eficiente Dante. Pela esquerda, tudo indica que Maxwell será a sombra de Marcelo. No meio, Fernandinho é opção para o possível desfalque de Lucas Leiva e há expectativa de que Hernanes complete o setor, que fica com reservas de luxo. No ataque, todos rezam por Fred, mas, sem ele, Jô é o cara. O maior problema seria a necessidade de outro centroavante, provavelmente Leandro Damião. Mas, se não houver perda dos principais titulares, Felipão — e todos nós — dormiremos em paz.

Zico eterno

Poucos craques merecem a homenagem de tema principal de uma escola de samba. Zico é um desses raros fenômenos por sua trajetória brilhante como jogador e profissional, um exemplo de comportamento. Não faltarão episódios marcantes e grandiosos de sua vida para serem lembrados por seus contemporâneos do Fla e da Seleção. Zico, com o seu carisma, é bem aceito por todas as torcidas que esquecem até a sua pele rubro-negra. Vai ser um show inesquecível.

Vale Tudo

Os advogados de Bruno, goleiro condenado por participar de conluio para o assassinato da amante, espalham por aí que ele assinou com o Montes Claros (MG) para jogar, talvez, antes do cumprimento integral de sua pena. Não há como duvidar, porque no Brasil tudo é possível para os infratores, e as vítimas que se lixem. No julgamento do mensalão, não foi tudo revisado por um novo grupo de juízes, desconsiderando o que estava escrito? O Carnaval é amplo.

Vergonha

O Botafogo voltou a escalar reservas, foi derrotado e praticamente deu adeus ao Carioca. Uma vergonha. O que causa estranheza é a razão dessa decisão. Seria para descansar os titulares que jogaram três dias antes? Mas o próximo jogo da Libertadores será em 12 de março, portanto com 12 dias de diferença. Poupar o quê? Verdade que um time misto foi muito bem contra o Fluminense e o titular andou meio devagar no Chile, mas, e daí? Na situação atual, o Carioca virou fardo.

O esquecido 

Toda vez que se fala do América, geralmente é por um fato ruim que se segue a um sopro de esperança frustrada — junto à lembrança de um clube que já foi prestigiado e que tinha um futebol competitivo. Entra dirigente, sai dirigente, nada se resolve e até famosos ex-craques como Edu já fizeram tentativas fracassadas. Volta e meia, reaparece Léo Almada, mas nada acontece e o abismo fica mais profundo. Deus não salvou — ou está demorando — a salvar o América.


Você pode gostar