Por bernardo.argento

Rio - Não vai dar para evitar. Quando a bateria começar a tocar, o coração vai disparar no mesmo ritmo acelerado. E tão logo o intérprete Wander Pires solte a voz, e a Imperatriz Leopoldinense entre na Avenida, Zico vai chorar. No dia em que completa 61 anos, o fã da Beija-Flor vai ser homenageado pela escola de Ramos.

As lágrimas não são planejadas, mas Zico tem andado mais chorão. Também ficou emocionado com o livro em sua homenagem, ‘Simplesmente Zico (Priscila Ulbrich, Editora Contexto, R$ 24,90), recentemente lançado. A noite de autógrafos será no fim do mês. Na obra, jogadores, técnicos e jornalistas — rubro-negros ou não — falam sobre o Galinho.

Zico agradece o carinho de diversas pessoas que vão desfilar em sua homenagemMárcio Moraes / Agência O Dia

“Muita gente que nem é Flamengo vai desfilar por minha causa, assim como torcedores de outros times me homenagearam neste livro. Isso é muito emocionante, saber que tanta gente gosta de mim”, agradece Zico.

Para curtir cada minuto do aniversário tão especial, Zico se cuidou. Diminuiu o açúcar e emagreceu para não forçar mais o combalido joelho. Também não descuidou da parte física.

Mas não há fórmula que endureça seu coração ou possa impedir suas lágrimas, quando o Sambódromo se tornar o Maracanã e a Imperatriz levar Artur a um reino encantado. Ouvir a galera gritar o animado refrão (“Dá-lhe, Da-lhe, Dá-lhe Ô/Um canto de amor!/Imperatriz me faz reviver.../Zico faz mais um pra gente ver!), será mais um grande gol na sua vida:

“O samba é lindo! Já fico emocionado toda vez que ouço. Com uma multidão cantando, não vai ter como não me emocionar. Há grande possibilidade de eu chorar.”

Você pode gostar