Por pedro.logato

Rio - Motor turbo, sistema de recuperação de energia (ERS), nova aerodinâmica (como os bicos horrorosos), pontuação dobrada na última corrida. Essas são algumas das inúmeras mudanças da temporada de F-1 que se inicia domingo, na Austrália. Com tanta novidade, as primeiras corridas têm boas chances de ser imprevisíveis — principalmente por conta da confiabilidade dos motores v6 — e emocionantes.

As equipes ainda andam em terreno desconhecido e veremos erros de estratégia, problemas eletrônicos, falta de combustível (o limite caiu de 160 kg para 100kg) e muitos abandonos que podem influenciar o resultado. Não basta ter o carro mais rápido, será preciso poupar pneu, combustível e saber a hora de usar o turbo e o ERS (que dará aumento de 160hp de potência por volta), além de não forçar demais o motor.

Novo bico chamou a atenção no carro da McLarenEfe

Mas não se enganem. Pelos testes de pré-temporada, a Mercedes surge como a grande favorita. O carro mostrou ser o mais veloz e tem o motor mais confiável. McLaren e Williams (ambas com motor Mercedes) prometem brigar por vitórias, com Ferrari um passo atrás. Quem aproveitar melhor esse início cheio de novidades tem grandes chances de ser o campeão.

OS FAVORITOS

Se souber controlar o desgaste de pneus e do carro (um problema pela sua agressividade), aposto em Hamilton para o título. Ele deve brigar com seu companheiro Rosberg, mas Button pode ser um rival duro por seu estilo poupador. Alonso também não deve ser descartado.

NOVA VIDA PARA MASSA

Massa queria a Lotus, sobrou a Williams e ele achou o bilhete premiado. Reformulada, a equipe vem forte (até onde o dinheiro der) e o piloto tem reais chances de vitórias no ano, a começar pela Austrália.

RBR FICA PARA TRÁS

Com o pior motor turbo (Renault), a RBR só teve problemas, sai atrás e a hegemonia de Vettel vai acabar. A equipe tem dinheiro para se recuperar, mas já será tarde demais.

Você pode gostar